CoplanaCoopecrediSocicana
Identidade Organizacional
Organograma
História
Gerências
Estatuto Social
Regimento Interno

Apoio ao Cooperado/Cliente
Invoice Tracking
Cotações B2B
Caderno de campo
Intranet
Webmail

A Coplana - Cooperativa Agroindustrial - iniciou suas atividades em 28 de março de 1963. Um ano histórico, já que naquele momento nascia um empreendimento que mudaria o cenário econômico e social do interior do Estado de São Paulo.Depois de muitas reuniões e com o forte desejo de desenvolvimento, agricultores decidiram mudar suas ações. Perceberam que enquanto estivessem isolados, ainda que trabalhando arduamente em suas propriedades, teriam poucas chances de crescimento. Optaram pela sustentabilidade, baseada na ajuda mútua.

 

Os 13 Pioneiros
Foram 13 os fundadores da Cooperativa. Guardamos na memória as figuras de Antonio José Rodrigues Filho, que foi também o primeiro presidente. Ficou no cargo entre os
anos de 1963 e 1966. Além dele, Américo Guzzo, Benedito Zurita, Ernesto de Angelis, Frederico Dias Guillon, José de Souza Teixeira, Plínio Botelho do Amaral, Álvaro de Abreu Sampaio Dória, Francisco Pacífico, Hermínio de Laurentiz e José de Laurentiz Júnior.

 

Naquele momento inicial, também estavam presentes os agricultores Orlando Petrassi e Moacyr de Andrade Lemos. Os princípios cooperativistas sempre foram levados à prática diária na Coplana. O exemplo que veio de Antonio José Rodrigues Filho, pai do ex-ministro da Agricultura Pecuária e Abastecimento, Roberto Rodrigues, prevalecem até hoje. Roberto Rodrigues também presidiu a Cooperativa, entre os anos de 1973 e 1979. No ano de 1975 foi presidente do Sicoob Coopecredi - Cooperativa de Crédito Rural dos Plantadores de Cana da Zona de Guariba, entidade parceira da Coplana, responsável por suporte financeiro ao setor.

Ampliação da área atuação
Ao longo dos anos, a Coplana venceu desafios, por meio da gestão democrática, iniciativas transparentes e um relacionamento profissional com fornecedores, indústria e esferas dos poderes públicos.

Em 1985, a Cooperativa abriu seu Estatuto Social, o que promoveu um grande impulso. Se antes integrava exclusivamente os produtores de cana-de-açúcar, a partir daquele ano passou a congregar todo o tipo de produção agropecuária. De grãos a frutas, passando pelo manejo animal, a Cooperativa tornou-se uma sólida alternativa para produtores em uma área cada vez maior.

Assim como os pioneiros de Rochdale (Inglaterra), que em 1840 fundaram oficialmente a primeira cooperativa de que se tem notícia no mundo, o desejo de transformação social motivou as ações dos fundadores da Coplana e dos produtores que somaram esforços nos anos posteriores.

Coplana hoje

A Coplana chega aos dias atuais com reconhecido dinamismo. A gestão democrática é ação permanente, o que possibilitou o crescimento de Cooperativa e cooperados. Seus objetivos voltam-se para o ser humano, razão de todo o trabalho e empenho de conselheiros, cooperados e colaboradores. Crescer economicamente só tem sentido se alcançarmos o desenvolvimento social. É este ideal que direciona cada iniciativa da Coplana e também é base nos conceitos de cooperação.

Gestão de excelência
O atual Conselho de Administração, implantou sistema de excelência em cada processo. Por meio da valorização de competências, investimentos em aperfeiçoamento e real trabalho em equipe, a Cooperativa superou resultados previstos e alcançou alto desempenho em todas as áreas.

Além da valorização de seu capital humano, investiu em várias tecnologias - da informação à pesquisa de campo, passando pela indústria - o que também contribuiu para um atendimento diferenciado ao produtor.


Conselho de Administração - Coplana

PresidenteJosé Antonio de Souza Rossato Junior
Vice-PresidenteBruno Rangel Geraldo Martins
Secretário Francisco Antonio de Laurentiis Filho
 Delson Luiz Palazzo
 Roberto Cestari
 Carmem Izildinha Carneiro Leão Penariol
 Waldyr da Cunha Junior
  
Conselho Fiscal 
EfetivosWalter Aparecido Luiz de Souza
 Frank Daniel Polegato
 Luiz Joaquim Donegá
  
Suplentes 
 Luiz Ricardo Freire de Mattos Barreto
 Antonio Paulo Fonzar
 Alexandre Frare Formici