Dia de Campo Meiosi

meiose6

 Iniciativa teve a parceria da Coplana, Syngenta e Destilaria Malosso

A Coplana, a Syngenta e a Destilaria Malosso realizaram, no dia 25/1, o Dia de Campo Meiosi (Método Interrotacional Ocorrendo Simultaneamente), quando foram apresentados benefícios e os resultados do sistema.

Igor Pizzo, gerente do Departamento de Tecnologia e Inovação da Coplana, ressaltou que o Dia de Campo foi uma ótima oportunidade para o produtor ver na prática o desempenho e a viabilidade deste modelo. Pablo Humberto Silva, também do departamento de Tecnologia e Inovação, fez a apresentação da Coplana sobre a Meiosi e mostrou que para adotar o método é preciso um viveiro satélite bem localizado, que incidirá em economia com quantidade e logística de mudas, além de mudas com vigor, sanidade, procedência e pureza genética. Segundo Pablo, os cinco passos para obter as altas taxas proporcionadas pela Meiosi são: plantio, no máximo, até 10 de outubro; ambiente de produção favorável; variedades de alto perfilhamento e desenvolvimento rápido; manejo do produtor (água mais nutrição); e clima (regime de chuvas).

O representante técnico de Vendas (RTV) da Syngenta, Alexandre Bizzi, explicou que o objetivo foi divulgar as possibilidades de trabalho em Meiosi com Mudas Pré-Brotadas (MPBs) e culturas intercalares. “Estamos buscando a máxima produtividade de cada variedade de cana”, afirmou Bizzi. Para Ewerton Oliveira, também representante da empresa, cooperativa e fornecedora somam forças. “O padrão de excelência das sementes da Coplana somado aos nossos produtos, desenvolvidos com tecnologia de ponta após muita pesquisa, beneficiam o produtor”, resumiu.

Os técnicos lembram que a Meiosi não é uma novidade e foi resgatada do passado, claro, com inovações. Vale ressaltar que a escolha da variedade para o sistema de Meiosi deve atender aos quesitos técnicos que se espera da área. Os critérios mais utilizados são a proteção do terreno contra erosões; produção de palhada (diminuindo a germinação de plantas daninhas e a evaporação de água do solo); melhoria da disponibilidade de nutrientes (o que aumenta a quantidade de matéria orgânica) e das condições físicas do solo (melhorando a aeração e penetração de água); redução do tráfego de veículos e implementos pesados nas áreas de canaviais (reduzindo custos com aquisição e transporte de mudas) além da minimização dos custos com a adubação do canavial (principalmente dos insumos nitrogenados).

Com a palavra, o produtor!

Sérgio Souza Nakagi, Ricardo Magnani e Rodrigo De Bello têm em comum o fato de serem produtores de cana e adotarem a Meiosi. Todos estão com boas expectativas em relação a este método de plantio e acreditam que a economia que será feita tende a ser significativa.

“Adotei a Meiosi desde o ano passado e acredito em uma redução de custo de até 20%. Só o fato de não precisar de caminhão com carregadeira já impacta nesta redução de custo. Acho incrível a inciativa destes parceiros de ampliar o conhecimento da Meiosi por meio do Dia de Campo”- Sérgio Souza Nakagi

“Sou produtor polo do projeto +Cana e entrei no programa na segunda onda, em parceria com o IAC. Já antecipei e fiz um canteiro primário para plantar minhas próprias mudas em sistema de Meiosi. Estou bem animado com as inovações que a tecnologia e o resgate de técnicas antigas e eficazes nos trazem” – Ricardo Magnani

“Este é o primeiro ano que vamos trabalhar com a Meiosi, e as expectativas são as melhores possíveis. Nós íamos optar pela Cantosi, mas a distância, o transporte das mudas e a economia comprovada que a Meiosi gera nos levou a optar por este método” – Rodrigo De Bello

 

Reportagem e fotos – Renata Massafera/Neomarc

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Nome*

Email

Website