Soja promete repetir o desempenho dos últimos anos

soja1

Soja promete repetir o desempenho dos últimos anos

Em palestra promovida pelo Núcleo Silos,

economista indica possíveis comportamentos do mercado

“Tudo indica que vamos ter mais um bom ano para a soja”: a afirmação é do economista Flávio França Júnior, da França Júnior Consultoria, durante palestra promovida pelo Núcleo Silos. A iniciativa ocorreu em novembro, no CAC – Centro de Atendimento ao Cooperado, em Jaboticabal. O consultor lembrou que as últimas 11 safras foram boas, com aumentos consecutivos de área. A produtividade oscilou, em função do clima, mas também manteve crescimento.

França destacou que a soja é uma cultura num ciclo impressionante de expansão. “O preço pode não ser empolgante, mas é positivo. Em 2012, aconteceu a última explosão de preço, com um pico histórico, permanecendo em 2013 e no primeiro semestre de 2014. No segundo semestre de 2014, começou a cair e ficou estável. Ainda assim, o resultado está sendo positivo”, ressaltou. Ele lembra que o aumento de área mundial tem sido absorvido pela demanda excedente, o que mantém os preços.

O consultor explica que o consumo interno e externo aumentou, e o Brasil produziu, na última safra, 115 milhões de sacas, exportando 65 milhões de grãos, além de farelo e óleo. “Nosso gargalo hoje se chama ‘gestão de riscos’. O produtor tem que preocupar-se em ser um bom comprador de insumos, um bom administrador e um bom vendedor.” Ele elogiou o Núcleo por oferecer aos produtores treinamento adequado para lidar com estas questões, citando como exemplo as palestras já oferecidas.

O produtor Azael Pizzolato quis saber de referências para a melhor negociação da safra. “Os picos de Chicago, que interferem na nossa comercialização, acontecem de maio a agosto. Para olharmos nossos preços precisamos, no entanto, ficar atentos ao câmbio e a Chicago. Se levarmos em consideração apenas Chicago, maio e junho são meses bons, mas, infelizmente, dependemos também do câmbio. Não tenho uma resposta formatada, mas sugiro que fiquem de olho no mercado, especificamente nestes dois itens. Quando os dois estiverem bons, é hora de vender”, respondeu França Júnior.

O coordenador do Núcleo Silos, Murilo Morelli, complementou que o importante não é ficar apenas atento ao momento de vender, mas também ao de comprar os insumos. Além disso, ele destaca a união promovida pela Cooperativa.  “Hoje, temos o Núcleo Silos, discutimos transporte, armazenamento e venda. A Coplana nos fortalece. Fazemos tudo juntos. Estas palavras apenas confirmam o propósito do Núcleo. A palestra de hoje, especificamente, coroou o que já estamos fazendo, que é ficar diariamente de olho no mercado”, explicou Morelli.

palestrante

Produção Neomarc / Fotos: Renata Massafera

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Nome*

Email

Website