Campo Limpo 2018

campo2

Resumo das atividades promovidas pela Coplana

Central de Portas Abertas

Pelo 14º ano consecutivo, a Coplana – Cooperativa Agroindustrial promoveu, em conjunto com a cadeia produtiva de todo o Brasil, o Dia Nacional do Campo Limpo, comemorado anualmente no dia 18 de agosto. A data integra o Calendário Nacional desde 2008 e foi criada pelo Inpev (Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias) com o objetivo de reconhecer o papel de produtores, cooperativas, fornecedores e revendas no processo de logística reversa de embalagens de defensivos.

 

campo6No dia 17 de agosto, alunos da Etec Bento Carlos Botelho do Amaral, de Guariba, conheceram a Central de Recebimento de Embalagens da Coplana e a produção canavieira. A visita começou com a palestra do gerente Técnico-Comercial de Insumos, José Marcelo Pacífico, no auditório da Socicana. Ele explicou todo o processo do plantio à colheita da cana, esclarecendo os cuidados com a sustentabilidade.

“Tudo na cana-de-açúcar se aproveita. Ela gera energia, emprego e renda. Precisamos desmistificar vários conceitos equivocados em relação à cana de açúcar e deixar muito claro para a sociedade que atualmente a cana com certeza é uma das culturas mais sustentáveis e ambientalmente correta. O gerente explicou também sobre a importância da utilização dos defensivos agrícolas, outro tema que se faz necessário a elucidação da sociedade e o papel fundamental da Central de Recebimento de Embalagens (CRE) da Cooperativa, que foi pioneira e serviu de modelo não só para as unidades brasileiras, como também de outros países.

 

A apresentação continuou com Fábio Elias de Paiva, responsável técnico da Central de Recebimento de Embalagens, que mostrou como era o descarte de embalagens antes da intervenção da Coplana e como é a destinação atualmente. “A evolução deste processo culminou com o atual modelo de logística reversa. Há duas recicladoras que recebem o material da Coplana e das demais centrais, que hoje são dezenas no Brasil”, contou Fábio.

Em seguida, os alunos seguiram para a CRE. “O Fábio já tinha ido à minha escola e eu já conhecia bastante o processo. Fiz até um poema sobre a importância do agronegócio e acho muito importante estas visitas, que nos esclarecem tanto sobre a realidade que vivemos”, contou Sara Máximo, de 15 anos.

O estudante Gabriel Henrique Lopes Souza, de 17 anos, falou que estava entrando na CRE da Coplana pela primeira vez, mas já sabia parte do que acontecia na Central. “As informações que recebemos hoje foram fundamentais para entendermos o que a logística reversa. Quanto à importância da cana, eu já sabia. Minha mãe trabalha em laboratório de uma usina e nos conta a importância do agronegócio”, disse Gabriel.

Sinara Aparecida Lucas da Silva, coordenadora do Ensino Médio da Etec Bento Carlos Botelho do Amaral, estava visitando a Central pela primeira vez e garantiu que ficou impressionada com o cuidado na destinação das embalagens. “Trouxemos os alunos do primeiro ano de Administração porque eles vão aprender logística reversa, mas com a visita eles aprenderam muito mais”, destacou a coordenadora.

 

Exposição em Jaboticabal

campo4 campo3

No dia 24 de agosto, foi a vez de Jaboticabal sediar a exposição: “Sustentabilidade e Meio Ambiente”, na Estação

de Eventos Cora Coralina. Fábio de Paiva comentou que as atividades mostraram não só as ações da Coplana ao longo dos anos, no sentido de preservação do meio ambiente, mas também outras iniciativas, como as do Centro de Educação Ambiental (CEA) da Prefeitura de Jaboticabal, Fatec Jaboticabal, Etec de Guariba, Escola Estadual Joaquim Batista, Sescoop/SP e Colégio Técnico Agrícola da Unesp Jaboticabal. Ao longo do dia, participaram cerca de 500 estudantes da região.

Thaíres de Jesus Nascimento, 10 anos, participou pela segunda vez do DNCC e contou que gosta muito de aprender novas formas de cuidar do meio ambiente. “Aprender brincando é muito bom”, completou. Larissa Eduarda Silva, 10 anos, concorda. “É muito gostoso saber o que devemos fazer para cuidar da natureza. O que mais gosto no Dia de Campo Limpo é o teatro”, disse Larissa, que acompanhava atenta à peça “A princesa higiene e o príncipe meio ambiente”, interpretada pela Companhia Arueiras do Brasil.

A estudante Paola Carolainy Santos Murillo, 10 anos, participou pela segunda vez do Dia de Campo Limpo e garantiu que a cada edição há um novo aprendizado. “O teatro deste ano falou sobre jogar lixo nas ruas. No ano passado, aprendemos a cuidar dos rios”, citou Paola.

Luciana Caruso, inspetora da EMEC Dr. José Abdo Chueire, ressaltou a importância dos conteúdos abordados durante o Dia de Campo Limpo. “Os alunos absorvem as informações e repassam para seus familiares. É uma ação muito importante. Os organizadores estão de parabéns”, avaliou.

Entre as dinâmicas ao longo do dia, os estudantes conheceram o cultivo por hidroponia, um aquecedor solar de baixo custo, animais empalhados, um processo caseiro para a reciclagem de papel, além de peça de teatro.

campo5

Fotos: Ewerton Alves / Produção de texto: Renata Massafera – Neomarc

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Nome*

Email

Website