Author Archives: admin

Educação Cooperativa 2021

No mundo de hoje, o aprendizado deve ser permanente!

Inscrições abertas para o Programa Educação Cooperativa, uma parceria entre Coplana e Sescoop/SP.

 

• Pelo site – www.coplana.com – Educação Cooperativa.
• Podem se inscrever cooperados, jovens cooperados, esposas de cooperados, filhos, funcionários da administração da fazenda.
• As inscrições se encerram 10 dias antes da realização de cada curso.
• As vagas são limitadas e podem se esgotar com antecedência.

 

Termo de compromisso

  • No ato da inscrição, pelo site da Cooperativa, é necessário concordar com o Termo de Compromisso referente à participação nas aulas.
  • Em caso de não participação, a Cooperativa reserva-se o direito de cobrar multa do inscrito. Ressalta-se que a inscrição somente será válida se o interessado clicar em “Aceitar Termo de Compromisso”.

 

Contatos para mais informações

  • (16) 3251-9235 – Isabella
  • (16) 3251-9285 – Pedro

 

 

 

 

Criatividade e Inovação
Dias 5 e 6, das 8h às 12h
8 horas de duração
 

Objetivo: despertar nos participantes a criatividade e o espírito inovador, potencializando e integrando a capacidade criativa para encontrar novas formas para a solução de problemas no cotidiano da Cooperativa.

 

Palestra: As Emoções que Geram Doenças

Dia 8, das 8h às 10h
2 horas de duração

Irá abordar a relação entre as emoções e as doenças, objetivando o aprendizado sobre como lidar com as emoções para ter saúde e equilíbrio.

 

Gestão de Carreira
Dias 14 e 15, das 8h às 12h
8 horas de duração

Objetivo: preparar os profissionais para a execução de algumas das principais tarefas envolvidas na rotina de um departamento de pessoal, em alinhamento com as diretrizes do direito do trabalho.

 

Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) – Aspectos Legais

Dias 19 e 20, das 8h às 12h
8 horas de duração
 

Objetivo: atualizar profissionais e demais interessados nos fundamentos jurídicos e

impactos legais do uso da tecnologia da informação no dia-a-dia da

Cooperativa, promovendo a prevenção no cumprimento da legislação, assim como

a possíveis conflitos decorrentes da utilização dos sistemas e ferramentas de TI.

 

Indicadores de Desempenho
Dias 29, 30/07, 05 e 06/08 das 8h às 12h
8 horas de duração

Objetivo: promover capacitação para estruturar ou aprimorar o sistema de indicadores de desempenho da Cooperativa, esclarecendo conceitos e ferramentas para a medição do seu desenvolvimento.

 

 

 

 

Como Falar em Público

Dias 2 e 3, das 8h às 12h
8 horas de duração
 

Objetivo: desenvolver a capacidade de oratória, por meio de ferramentas

adequadas para transmitir credibilidade na expressão de ideias, possibilitando uma comunicação organizada, clara, natural e convincente durante apresentações.

 

Microsoft Office 365 – Versão Business

Dias 9 a 12, das 8h às 12h
16 horas de duração

Objetivo: conhecer as principais funcionalidades do Microsoft 365 na integração de dispositivos, aplicativos e arquivos, tanto virtual (“nuvem”) quanto local ou compartilhados com outros usuários, com foco nos principais recursos disponibilizados na versão Business para produtividade e trabalho em equipe.

 

Sucessão Cooperativista
Dias 19 e 20, das 8h às 12h
8 horas de duração

 Objetivo: apresentar e discutir os principais desafios da sucessão, com profissionais titulares de cooperativas, fornecendo ferramentas e exemplos bem-sucedidos para a condução desse processo com solidez e qualidade

 

Administração de Cooperativas nos Tempos Atuais
Dias 23 a 26, das 8h às 12h
16 horas de duração

 Objetivo: propiciar conhecimentos sobre os modernos conceitos utilizados em

administração e sua aplicação à realidade do empreendimento cooperativista,

desenvolvendo habilidades de gestão compatíveis com o cenário do mercado atual.

 

Programação Neolinguística

Dias 30 e 31, das 8h às 12h
8 horas de duração

Objetivo: apresentar os conceitos e técnicas da Programação Neolinguística e sua aplicação no cotidiano como forma de promover a melhora na relação com clientes durante o atendimento em geral, nas negociações diversas e participações em reuniões.

 

 

 

 

Palestra: Saúde, Mente e Corpo – o ser humano biopsicossocial

Dia 10, das 8h às 10h
2 horas de duração
 

Objetivos: identificando os transtornos mentais, orientar sobre o processo das emoções nas alterações hormonais e as consequências para a saúde. Também diferenciar fantasia e  realidade para a manutenção da saúde mental e física.

 

Coaching e Feedback

Dias 16 e 17, das 8h às 12h
8 horas de duração
 

Objetivo: aprimorar as habilidades de liderança por meio do coaching e do feedback assertivo, a partir do autoconhecimento e da percepção do estilo pessoal de liderança, trazendo os modelos mais atuais de gestão de pessoas.

 

Liderança

Dias 29 e 30, das 8h às 12h
8 horas de duração

Objetivo: desenvolver líderes a partir das principais ferramentas de autodesenvolvimento e desenvolvimento de equipes, garantindo resultados sustentáveis para colaboradores e Cooperativa.

 

 

 

 

Curso Libras Básico e Intermediário (Presencial)

Dias 1, 8, 15, 22 e 29, das 8h às 17h
40 horas de duração
 

  • Módulo 1: benefícios de permanecer ativo fisicamente e mentalmente na melhor idade.
  • Módulo 2: vivendo em harmonia – saúde emocional para uma vida sem depressão.
  • Módulo 3: planejando atividades de lazer, atividade física, convívio social e práticas de esporte.
    • Módulo 4: expressão facial e corporal, movimento e espaço das libras, vocabulário básico.
  • Módulo 5: sinais compostos e sinais simples; vocabulário básico.
  • Módulo 6: verbos indicadores, de manuseio e simples; tipos de frases.
  • Módulo 7: sinais de uso corriqueiro/vocabulário básico e conversação.
  • Módulo 8: simulações de atendimento e sinais específicos utilizados do cotidiano.
  • Módulo 9: revisão e atividade final.

 

Palestra:  Qualidade de Vida – Acrescentando vida aos anos

Dia 13, das 8h às 10h
2 horas de duração
 

Objetivos: identificar os benefícios de permanecer ativo fisicamente e mentalmente na melhor idade, vivendo em harmonia com saúde emocional para uma vida sem depressão; planejar atividades físicas, de lazer, de convívio social e práticas de esporte.

 

Neuroinovação

Dias 19 e 20, das 8h às 12h
8 horas de duração

 

Objetivo: explanar sobre o conceito da neurociência aplicada ao processo de inovação, propondo ao participante reflexão e autoconhecimento que contribuam na identificação e desenvolvimento de soluções inovadoras, com base no comportamento e nos mecanismos cerebrais de tomada de decisão.

 

 

 

 

Liderança e Motivação de Equipes

Dias 22 a 25, das 8h às 12h
16 horas de duração

Objetivo: aprimorar a liderança por meio da comunicação, motivação e outras ferramentas que promovam a condução eficiente das equipes.

 

Palestra: Primeiros Socorros

Dias 30, das 8h às 10h
2 horas de duração

Objetivos: abordar os acidentes estatisticamente mais comuns na infância no Brasil e no mundo, orientando sobre: como se comportar no caso de acidente, o que fazer nos casos de ingestão de produto químico e de objeto, picada de animal peçonhento, quedas, fraturas, cortes, queimaduras, engasgo, choque.

 

 

 

 

Controle do Estresse no Ambiente de Trabalho

Dia 3, das 8h às 10h
2 horas de duração

Objetivo: tratar as causas do estresse e a forma como lidar, a fim de melhorar a qualidade de vida e a saúde.

 

Redação Empresarial e Atualização Gramatical

Dias 6 e 7, das 8h às 12h
8 horas de duração

Objetivo: capacitar os profissionais para uma boa comunicação escrita por meio da utilização de técnicas de redação empresarial e da elaboração de textos objetivos, redigidos corretamente, considerando-se as atualizações gramaticais da língua portuguesa.

 

Office: PowerPoint Intermediário – Avançado
Dias 8 e 9, das 8h às 12h
8 horas de duração

Objetivo: desenvolver habilidades técnicas para que os participantes consigam executar o programa PowerPoint em suas funcionalidades intermediárias e avançadas, na criação e montagem de roteiros de apresentações visuais.

 

 

 

 

Coplana lança APP de apoio ao cooperado

A Coplana está lançando um aplicativo de uso exclusivo do cooperado para as operações do dia a dia, como informações sobre seus produtos armazenados, recebimento de grãos, dados de boletos, financiamentos, solicitações de serviços, entre outros. O APP Coplana é compatível com os sistemas Android e IOS e pode ser baixado pelas plataformas Apple Store e Play Store gratuitamente.

O objetivo é agilizar diversos tipos de atividades, promovendo maior autonomia ao produtor, com a praticidade que a ferramenta digital oferece. O APP foi desenvolvido pela equipe de TI, Tecnologia da Informação da Cooperativa, que estará disponível para oferecer suporte necessário ao usuário.

“A ideia da concepção desse aplicativo é permitir ao produtor, que está no campo ou sem acesso ao computador, maior mobilidade. O APP oferece segurança e transparência, traz as informações principais dos negócios que o cooperado tem com a Coplana, como as relações de boleto e financiamentos, serviços técnicos, bem como a venda e a gestão de seu volume de soja”, comenta José Guilherme Nogueira, gerente Administrativo e Financeiro da Cooperativa.

José Guilherme também destaca o aspecto da segurança no uso do dispositivo. “Ele pode ter os relatórios em mãos, em tempo real para que possa fazer a tomada de decisão e gerenciar ainda melhor seu negócio. E a Coplana foca muito na segurança, assim ocorre quando o produtor opera aplicativos bancários, que hoje já têm seu uso consolidado. Queremos, portanto, garantir uma ótima experiência ao cooperado e agilidade em suas informações.”

A Coplana e, em especial, toda a equipe de TI, não mediram esforços para desenvolver uma ferramenta inovadora e de uso fácil, mais um canal para a evolução do relacionamento com o produtor.

FUNÇÕES 

Apoio ao Cooperado: Armazenamento e secagem de grãos, por safra e data • Entrega de grãos • Informações sobre suas operações financeiras na Cooperativa • Emissão de boletos e relatórios • Financiamentos e seus relatórios • Informe do IRRF.

Serviços Técnicos: Solicitação de serviços de tecnologia e inovação, boletins técnicos, resultados dos experimentos.

Programa Compre & Ganhe: Informações sobre o programa de fidelidade das Lojas.

Soja: Comercialização.

Dados Cooperado: Informações cadastrais.

Contatos: Contatos dos vários setores e serviços, além das redes sociais da Cooperativa.

O cooperado terá suporte completo, tanto para acionar como para utilizar o APP, através da equipe de TI, pelo número (16) 3251-9212. Funcionamento a partir do dia 19 de julho.

 

Coplana renova sua Missão, Visão e Valores

Nova identidade organizacional está alinhada com a evolução da Cooperativa

A relação de uma marca com o seu público vai muito além da estrutura disponível para o atendimento. Imagine, então, quando estamos falando da marca Coplana e quando o público é composto por Cooperados.

A Coplana, fundada em 1963, por 13 idealistas, evoluiu a cada ano de sua trajetória e foi mudando seu posicionamento de mercado. Porém, o fundamental permanece: sua razão de existência sempre foi e sempre será o Cooperado.

Dessa forma, a Coplana segue encontrando caminhos para fazer com que este produtor tenha sustentabilidade em seus negócios. Recentemente, foi definido seu Planejamento Estratégico para as operações até 2025, sempre colocando no centro dos objetivos os Cooperados.

Diretoria, superintendência e gestores estudaram minuciosamente as necessidades do produtor rural, o mercado e o potencial de atuação. Produtos, serviços, tecnologias e novos formatos de trabalho: tudo pensando no perfil do quadro social e na maneira de melhor atendê-lo.

E para operar com a excelência que este público merece, a Cooperativa também renovou sua Missão, Visão e Valores. Estes conceitos foram definidos a partir das opiniões da equipe e, principalmente, dos produtores. Assim, foram identificadas as mais importantes ideias que devem conduzir o dia a dia de trabalho.

As mudanças ocorreram para oferecer sempre o melhor suporte a quem não mede esforços para produzir com qualidade, investindo seu tempo, conhecimento e experiência para evoluir todos os dias. Assim é o Cooperado, alguém que vence muito mais que um desafio por dia, ao mesmo tempo em que contribui com o desenvolvimento da região e do país, produzindo alimentos e energia renovável.

Dessa forma, a Coplana tem a satisfação de apresentar a Missão e a Visão e os Valores atualizados, que estão na capa deste Informativo.

O Cooperado é razão da existência e evolução da Coplana!

A união nos torna mais fortes!

Núcleo Lideragro promove reunião virtual sobre Seguro Agrícola

O Núcleo Lideragro da Coplana realizou, no dia 18 de maio, uma reunião virtual com produtores de amendoim, cana-de-açúcar e soja para falar sobre o seguro agrícola. O consultor Aloisio Gois, explicou como funciona o seguro e sua importância para dar respaldo ao produtor. “A agricultura é uma atividade econômica de grande risco. Seu sucesso não depende apenas do uso correto de tecnologia, comportamento de preços, eficiente gestão e fatores de produção. Depende também, e fortemente, das condições climáticas e suas imprevisibilidades. Sendo assim, acreditamos que o seguro agrícola é um instrumento fundamental de proteção ao produtor rural, pois garante a continuidade da atividade em caso de perdas. Oferece proteção contra diversos eventos climáticos como seca, geada, granizo e excesso de chuvas. As coberturas são ofertadas sob medida para cada cultura e região do país”, explicou o especialista.

No caso do amendoim e soja, o seguro atende aos prejuízos em decorrência de granizo, seca, geada, ventos fortes e ventos frios, tromba d’água, chuvas excessivas, raio e incêndio. Para a cultura da cana-de-açúcar, o seguro, até o momento, cobre eventos decorridos de incêndios.

Para o coordenador do Núcleo Lideragro, Bruno Fernandes Modesto Homem, trazer assuntos deste tipo para o cooperado é essencial, e a palestra sobre o seguro agrícola vem ao encontro desta necessidade. “Ultimamente, a acentuada mudança climática, em alguns casos, implica em grandes perdas agrícolas, consequentemente econômicas. A iniciativa de trazer o tema seguro agrícola pode ser de grande valia, pois é uma ferramenta que pode amenizar os prejuízos de muitos produtores, visto que o custo está em altos patamares e atrelado à esta imprevisibilidade do clima.”

O Núcleo Lideragro juntamente com a Cooperativa está trabalhando para trazer assuntos diretamente relacionados ao dia a dia dos cooperados, seja na produção de amendoim, cana-de-açúcar ou soja, com a finalidade de auxiliar e mostrar novas soluções que possam contribuir com a redução dos riscos agrícolas e com a eficiência das lavouras.

Fazem parte do Núcleo LiderAgro os seguintes integrantes: Bruno Modesto Homem (Coordenador), Hugo F. de Souza (Vice-Coordenador), Lucas M. de Azevedo Souza (Secretário), Pedro Henrique Pain Vilares (1ª Vogal) e Leandro Florio Ferreira (2ª Vogal).

Safra do Amendoim

Safra do Amendoim

Produtores vencem período de poucas chuvas e conseguem colher com produtividade

A Coplana – Cooperativa Agroindustrial encerrou a safra de amendoim 2020/2021 no mês de maio, com volume expressivo e boa produtividade. Com uma área plantada de aproximadamente 20 mil hectares, a Cooperativa recebeu 82.219 toneladas de amendoim em casca, considerando o volume de produto já limpo e seco.
Como afirma o presidente da Coplana, Bruno Rangel Geraldo Martins, o clima fez com que os cooperados agilizassem as operações no campo. “Tivemos uma rapidez maior na colheita, devido aos dias com poucas chuvas. Os produtores conseguiram fazer render bastante, retirar o amendoim e devolver a área para as usinas seguirem com o novo plantio de cana-de-açúcar, que é a principal parceira do amendoim em nossa região”, disse Bruno.
Ele também avalia que o resultado foi mantido no campo. “Em virtude do verão menos chuvoso, acreditávamos que a produtividade cairia. Mas, em locais onde a umidade permaneceu e tivemos um índice pluviométrico melhor, os produtores tiveram boas produtividades”, ressaltou.
Para Valdeci Malta da Silva, gerente de Originação da Coplana, mesmo com os baixos índices pluviométricos a produtividade superou as expectativas. “Nesta safra, tivemos um incremento de aproximadamente 10% na área de plantio de amendoim, porém com precipitações pluviométricas mal distribuídas ao longo do desenvolvimento das lavouras. Com o manejo fitossanitário tecnicamente bem feito obtivemos uma produção que ficou em 10% a 15% acima do esperado.”
O produtor Matheus Donegá reforça a importância da assistência técnica e da semente com alto potencial fisiológico para esta conquista. “Uma semente de boa qualidade ajuda a ter um stand melhor no campo e uma pureza genética da variedade. A cadeia produtiva do amendoim está investindo cada vez mais em melhorias e certificações e também em estudos e análises que nos ajudam a ter maior precisão da área, levando em consideração o tipo de solo, a época do plantio, o potencial produtivo, entre outros fatores que contribuem com a qualidade e produtividade da lavoura”, comentou Donegá.
Para o produtor Nilton de Souza Junior, a semente, principalmente nessa safra, fez toda a diferença na lavoura. “O plantio nesse ciclo foi totalmente ar- riscado, devido à falta de chuva. Mesmo com essa adversidade, a semente se sobressaiu e germinou muito bem, o que foi fundamental para o sucesso da colheita”, destacou o produtor.

Coplana segue como referência

Com o investimento em qualidade desde o campo e em seu processamento na indústria, a Coplana segue como referência no Brasil e mantém, por 11 anos consecutivos a mais alta classificação, nota AA, da BRC, British Retail Consortium. Esta é uma norma global que valida a produção do alimento seguro e é uma exigência de grandes empresas, por exemplo, as da União Europeia, considerado um dos mercados mais seletivos do mundo. A Cooperativa exporta para os cinco continentes e, além da BRC, tem seu produto atestado pelos selos: Nestlé Responsible Sourcing (de sustentabilidade da cadeia de suprimentos), Kosher (com critérios da comunidade judaica), Halal (com padrões para consumidores muçulmanos) e Pró-Amendoim da Abicab (Associação Bras. da Ind. de Chocolates, Amendoim e Balas). O amendoim dos nossos produtores tem alto padrão e é reconhecido no Brasil e em todo o mundo: resultado da dedicação de Cooperados e toda a equipe.

Números da safra 2020/2021

Segundo o levantamento nacional da safra de amendoim, realizado em maio, pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), houve crescimento de 3,2% na área plantada em relação ao ciclo anterior. Em todo o Brasil, estima-se a produção em 597 mil toneladas de amendoim em casca, sendo que na safra passada tivemos 557,5 mil toneladas. O Estado de São Paulo mantém-se com mais de 90% da produção nacional e volume estimado em 562,3 mil toneladas de amendoim em casca, ou mais 7,2%, na comparação com o ciclo anterior em que foram colhidas 524,5 mil toneladas.

Campeão de preferência

Na Coplana, uma receita famosa é o Pé de Moça, elaborado cuidadosamente pela copeira Izilda Furtado Poiano, que trabalha na matriz, em Guariba. Seus doces ficaram conhecidos até entre visitantes de outros países. “Trabalho na Coplana há 21 anos, e quando me perguntam se eu faço só café, eu falo que não, pois me considero parte da história da Cooperativa, assim como meu doce”, afirma Izilda. “Fazer este doce me deixa muito feliz, pois tive incentivos para criar e ir aperfeiçoando, até esta receita ficar da forma que é hoje. Eu me sinto muito motivada para continuar fazendo, pois todos que experimentam, elogiam.” Sim, Izilda, você faz parte da nossa história, e nós agradecemos por estes doces deliciosos.

Pé de Moça Coplana – Receita da Izilda

Ingredientes
• 1 kg de amendoim sem pele torrado Coplana,
• 1 kg de açúcar refinado,
• 1 tablete (200g) de manteiga sem sal,
• 2 latas de leite condensado,
• 1 pitada de bicarbonato de sódio.

Modo de preparo
• Coloque a manteiga e o açúcar no fogo, mexendo até virar uma farofa.
• Em seguida, coloque os demais ingredientes.
• Continue mexendo sem parar, até “cozinhar” todos os ingredientes e desprender do fundo da panela.
• Desligue o fogo e coloque o doce em uma “pedra” ou forma untada. Corte enquanto estiver morno.
A receita rende aproximadamente 120 pedaços.

Esta reportagem foi uma contribuição do Núcleo da Mulher Coplana, com o objetivo de fazer a nosso cultura do amendoim ser mais conhecida. Integrantes do Núcleo: Danielle Bellodi Baratela, Camila Bellodi, Jaqueline Nuno, Simone Penariol e Thais Nucci.

8º Dia de Campo de Variedades de Soja

8º Dia de Campo de Variedades de Soja

Conteúdo estratégico em ambiente virtual

A Coplana realizou, no dia 27 de maio, o lançamento do “8o Dia de Campo de Variedades de Soja”, este ano em formato virtual, devido à pandemia de covid-19. O conteúdo que seria apresentado de forma presencial foi disponibilizado na plataforma criada especialmente para tratar da cultura da soja.

No total, são 10 palestras técnicas em vídeo, com cientistas de centros de pesquisa e especialistas de empresas. Entre os temas abordados, estão: plantas daninhas no sistema cana/soja, manejo de pragas e doenças, controle químico e uso de produtos biológicos. As empresas parceiras estão apresentando o desempenho de 41 variedades de soja utilizadas na região. No site, o cooperado tem acesso a vídeos curtos, com informações práticas para o dia a dia da lavoura.

Segundo o gerente do Departamento de Tecnologia Agrícola e Inovação da Coplana, Eduardo Maniezo Rodriguez, o Dia de Campo tem como proposta levar ao produtor dados técnicos que possam auxiliá-los na produção. “O objetivo é levar mais informações para os nossos produtores a respeito das variedades de soja mais indicadas para nossa região. Assim, o cooperado poderá, junto com nosso corpo técnico, identificar os materiais que se encaixam em seu manejo”, disse Rodriguez. Ele destaca ainda que os conteúdos auxiliam na tomada de decisão. “Todo esse conteúdo deve agregar valor para que o produtor aumente cada vez mais a eficiência e rentabilidade na produção, de forma sustentável.”

Um aspecto de destaque da cultura é o seu crescimento na região de Jaboticabal na rotação com cana-de-açúcar, algo que vem se tornando uma opção rentável para os produtores. “A cultura da soja é muito importante para a nossa região, para a Cooperativa e principalmente para os nossos produtores, visto que, em rotação com cana, tem se tornado uma excelente fonte de renda complementar. Nos últimos três a quatro anos, podemos lembrar que as culturas em rotação tiveram melhores resultados financeiros do que a cana propriamente dita, por conta do problema de defasagem de preços”, destaca Bruno Rangel Geraldo Martins, presidente da Coplana.

A Cooperativa recebeu 1,086 milhão de sacas de soja, na safra 2020/2021, o que representa uma estabilidade em relação ao ciclo passado, quando foram recebidos 1,083 milhão de sacas.

A Coplana realiza um trabalho técnico que auxilia os produtores desde o planejamento do plantio até a colheita da soja, e esse novo portal é mais uma iniciativa que visa contribuir com a difusão de novos conhecimentos referentes à cultura.

Os cooperados da Coplana são nossos convidados especiais para conferir as palestras técnicas, as apresentações das variedades e os portfólios das empresas parcerias.

Acesse o link: https://diadecamposoja.com.br

Caracterização de ambientes de Produção

Caracterização de ambientes de produção para culturas em rotação com a cana-de-açúcar

Denizart Bolonhezi
Pesquisador científico do Centro de Cana do Instituto Agrônomico, IAC.

 

O cultivo de leguminosas comerciais na reforma de canaviais é uma prática importante, tradicional, mas que durante décadas ficou restrita a algumas regiões canavieiras. Nas últimas safras, devido aos bons preços de mercado, os cultivos da soja e amendoim expandiram-se, sobretudo em parceria com o setor sucroenergético, ocupando áreas antes cultivadas com adubos verdes ou que permaneciam em pousio. Durante mais de quatro décadas de cultivo em terras paulistas, a cultura da soja não ultrapassou 550 mil hectares. Contudo, nos últimos 4 anos, a área dobrou no Estado de São Paulo, chegando na safra corrente a mais de 1 milhão de hectares. Nos últimos 20 anos, a cultura do amendoim aumentou em 46%, 67% e 13% a área cultivada, a produção e a produtividade, respectivamente. As duas culturas se destacam pela intensiva adoção de novas tecnologias, as quais conferem ganhos expressivos em produtividade e eficiência nas operações de semeadura, tratos culturais e colheita.

Porém, em virtude das adversidades climáticas, cada vez mais frequentes, ocorre redução da capacidade de expressão do potencial produtivo dos novos genótipos. Conhecer a diferença entre a produção potencial e a real, o que chamamos no ambiente acadêmico de yield gap, bem como suas causas, auxilia no planejamento das atividades e melhora a performance das lavouras. De acordo com Sentelhas et al. (2015), a deficiência hídrica e o manejo da cultura são responsáveis por 74% e 26% do yield gap da soja no Brasil, respectivamente. Para o amendoim, resultados gerados em outros países demonstram que o manejo inadequado da lavoura pode reduzir em 68% o potencial produtivo (Sonawane et al., 2016). A compreensão das características do ambiente de produção é uma importante estratégia para melhorar o potencial produtivo das culturas. Com base na pedologia e classificação do solo, é unânime o conceito de ambiente de produção para cana-de-açúcar, o qual tem mais de 25 anos de lastro de conhecimento técnico, e determina a escolha da variedade a ser cultivada (matriz varietal), dentre outras recomendações técnicas (época de plantio e colheita). Mas, esse conceito pode ser extrapolado para as culturas usadas na rotação dos canaviais? Um ambiente considerado favorável/desfavorável para cana-de-açúcar, também o será para soja ou amendoim cultivado na reforma?  Estas questões necessitam de resposta, a fim de melhorar as parcerias no sistema de produção cana/grão. Para tal, são imprescindíveis os conhecimentos fornecidos pela pedologia, mas também deve-se considerar que o sistema radicular dessas leguminosas exploram camadas mais superficiais do solo e são cultivadas nos meses de primavera/verão, ao contrário da cana-de-açúcar, que é semiperene e desenvolve raízes em maiores profundidades.

Considerando este contexto, dois projetos estão em desenvolvimento no IAC nas últimas duas safras, denominados Ambisoja e Ambiamendoim. O projeto Ambisoja é desenvolvido em parceria com a Bayer e consiste na avaliação do desempenho agronômico de 18 genótipos de soja cultivados em 22 locais, nas diferentes regiões canavieiras paulistas, nas safras 2019/20 e 2020/21. Os objetivos do projeto são: identificar estratos de produtividade em função da classificação do solo, aspectos químicos da fertilidade, físicos (CAD) e das informações microclimáticas, identificar perfil de genótipos de soja mais adaptados para reforma de canaviais (produtividade e raiz), bem como

O projeto denominado Ambiamendoim tem financiamento da Fundação Agrisus e conta com a parceria da Timac Agro e da COPLANA. Diferentemente da soja, existem poucos genótipos disponíveis para cultivo. Por conseguinte, os objetivos estão mais relacionados à identificação de estratos produtivos e as correlações com as características edafoclimáticas e algumas informações sobre qualidade biológica do solo (bioanálises). O intuito de incluir algumas informações sobre status microbiológico do solo (enzimas, glomalina e % de micorrizas) justifica-se pela conhecida interação dessa oleaginosa com a biota do solo e que podem auxiliar na caracterização dos ambientes. Deve-se ressaltar que estão incluídos outros sistemas de produção, tais como amendoim em reforma de pastagem e em outros arranjos de culturas. Resultados preliminares, utilizando banco de dados das safras 2017/18, 2018/2019 e 2019/2020, totalizando 43 áreas monitoradas (concentradas na região de Tupã/SP), permite dizer que é possível obter tetos produtivos acima de 700 sc/alq de amendoim em reforma de pastagem e cana, em solo classificado como Neossolo Quartzarênico. Nessa safra, a rede experimental compreendeu 45 campos comerciais distribuídos nas mais diferentes condições edafoclimáticas.

O desenvolvimento desses dois projetos não tem a pretensão de responder, em tão curto espaço de tempo, as questões apresentadas nos objetivos, mas é um primeiro passo para a construção desse conceito. Doravante, com a maior participação do setor produtivo e já aperfeiçoada e validada a metodologia (Fig. 1, 2 e 3) de avaliação on farm, empregada nos dois projetos, será possível construir um banco de dados robusto que certamente auxiliará os produtores de grãos na tomada de decisão sobre posicionamento de cultivares e opções de manejo.

Mães do agro

Conheça mulheres que, além de competência, dedicam à agricultura, grandes doses de amor

 

O agronegócio é um setor fundamental para o desenvolvimento das nossas cidades, garantindo alimento à mesa e energia renovável para todo o país. Este setor, que é um dos pilares da nossa economia, conta com uma contribuição muito especial: a presença de mães nos negócios das famílias.

Em homenagem ao Dia das Mães, o Núcleo da Mulher Coplana traz exemplos da força e da sensibilidade feminina no dia a dia do nosso agro. Vamos, então, conhecer um pouco da trajetória de Magali, Célia, Thais e Christiane. Elas são mães e também são profissionais inseridas nos negócios familiares; e transmitem para os filhos seu amor pela agricultura.

Nossa admiração por estas e por todas as mães que colocam a melhor parte de si em tudo o que fazem. São fortes e guerreiras; ao mesmo tempo, sensíveis e amorosas. Enchem o nosso coração de orgulho e são sempre o nosso melhor exemplo. Mães que nos acolhem, nos ensinam valores e transmitem seu amor para todos a seu redor, porque nada é maior que o Coração de Mãe! Nosso carinho enorme e desejo de um maravilho Dia das Mães!

Núcleo da Mulher Coplana

Danielle Bellodi Baratela, Camila Bellodi, Jaqueline Nuno, Simone Penariol e Thais Nucci.

Coplana conclui transferência da gestão de sua Central para o Inpev

Atendimento ao produtor é mantido regularidade e no mesmo local

No mês de março, a Coplana realizou a transferência da gestão de sua Central de Embalagens para o Inpev, Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias. O instituto está assumindo a gestão das unidades de recebimento em todo o Brasil, e a transferência da Central, em Guariba/SP, ocorreu de maneira estruturada. A equipe foi mantida, com os colaboradores que já atuavam no local, e também o atendimento ao produtor acontece normalmente.

A Central da Coplana foi a primeira iniciativa de logística reversa de embalagens de defensivos do Brasil, fruto da parceria entre os diversos elos da cadeia produtiva, como afirma o diretor-presidente do Inpev, João Cesar Rando. “Foi parte do projeto-piloto junto com a Andef (Associação Nacional de Defesa Vegetal), Secretaria de Estado da Agricultura e Associação dos Engenheiros Agrônomos de São Paulo, dando origem ao Inpev e ao Sistema Campo Limpo, programa de logística reversa das embalagens vazias e sobras pós-consumo de defensivos agrícolas. O trabalho em Guariba demonstrou que o Sistema funciona com o princípio da responsabilidade compartilhada e serviu de referência para a implantação das demais unidades brasileiras”, afirmou o executivo.

Rando reforça ainda que a transferência da gestão marca uma parceria de sucesso entre Cooperativa e Instituto. “O relacionamento do Inpev com a Coplana sempre foi de mútua cooperação e de parceria. As duas organizações investiram em programas de educação para os agricultores cooperados; na realização do Dia Nacional do Campo Limpo todos os anos, desde a sua criação em 2005; e na implementação do PEA – Programa de Educação Ambiental. A Central de Guariba, sob a responsabilidade da Coplana, ao longo de todos esses anos, teve uma gestão excelente com importante contribuição para o sucesso do Sistema Campo Limpo. Entre os compromissos assumidos pelo Inpev e pela Coplana para a transferência da gestão da central, está o de reforçar ainda mais esses laços que marcam o nosso relacionamento”, comentou o executivo do instituto.

No segundo semestre, a unidade deve funcionar em novas instalações, no Distrito Industrial de Guariba, seguindo um conceito moderno e alinhado aos padrões atuais das unidades de recebimento do Sistema. Antes da transição, a nova estrutura estava sendo planejada pela Cooperativa, com o objetivo de promover melhorias contínuas no atendimento aos produtores.

O papel relevante da Coplana deve ter um espaço especial na nova unidade, com a criação de um centro de memória no local para preservar este histórico. “O Inpev dedicará um espaço nas instalações da nova central em construção, para um museu, que mostrará essa trajetória marcada pela excelência e que contribuiu para posicionar o Sistema Campo Limpo como referência mundial”, conclui Rando.

Central de Recebimento de Embalagens da Coplana:

Os estudos para a implantação da Central da Coplana começaram em 1991, quando técnicos da Cooperativa, da Aeasp (Associação dos Engenheiros Agrônomos do Estado de São Paulo), Secretaria da Agricultura do Estado de São Paulo e Andef (Associação Nacional de Defesa Vegetal) deram andamento às pesquisas sobre o assunto. Não se sabia qual destino seria adequado e nem como ocorreria a descontaminação. Devido ao seu volume e riscos, as embalagens haviam se tornado um grande problema para produtores rurais, fornecedores de defensivos e órgãos ambientais.

Neste período também, foi criada a legislação que instituía o receituário agronômico. A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) definiu como deveria ser a lavagem das embalagens vazias dos produtos fitossanitários. Os estudos revelaram que o ideal seria a tríplice lavagem ainda no campo, no momento do uso do defensivo. Com isto, a embalagem passou a ser considerada um resíduo comum em vez de um resíduo perigoso, o que possibilitou a reciclagem.

Para orientar os produtores da região, membros da equipe Coplana começaram as visitas às propriedades, em 1993, um ano antes do funcionamento efetivo da Central.

Em 1994, quando começou a funcionar, a Central passou a receber volumes significativos de diversas regiões, em virtude da demanda reprimida de indústrias e de produtores que haviam estocado as embalagens nas propriedades.

O projeto da Cooperativa serviu de base para a Lei Federal 9.974/00, que regulamentou a logística reversa desses materiais no país. O trabalho evoluiu e tornou-se referência para unidades brasileiras e do exterior. Hoje, aproximadamente 100% dos cooperados da Coplana realizam a destinação correta. Do início das atividades da Central de Guariba até janeiro de 2021, foram recolhidas 15.687 toneladas de embalagens. Anualmente, o volume recolhido é de 500 toneladas, entre embalagens plásticas, de metal, papelão e tampas.

Inpev, Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias:

Desde 2002, é entidade gestora do Sistema Campo Limpo nas atividades de destinação de embalagens vazias de defensivos agrícolas e ações de conscientização e educação ambiental sobre o tema, conforme previsto em legislação. É uma instituição sem fins lucrativos formada por mais de 100 empresas e nove entidades representativas da indústria do setor, distribuidores e agricultores.

Inpev fará a gestão da Central de Recebimento de Embalagens da Coplana

Atendimento permanecerá normal, e somente no dia 16/03, não haverá expediente para transferência das operações

Como parte de uma iniciativa nacional, que ocorre com todas as unidades de recebimento de embalagens de defensivos, o Inpev, Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias, está assumindo a gestão da Central da Coplana, em Guariba/SP.

Este é mais um passo do Instituto no processo evolutivo do Sistema Campo Limpo. A Central da Coplana está realizando a transferência da gestão em uma operação muito bem planejada e que segue os princípios profissionais, tanto do Instituto como da Cooperativa.

O atendimento ao cooperado será mantido com a mesma dedicação e eficiência, inclusive com a manutenção de todos os colaboradores, que serão admitidos na nova gestão. Somente no dia 16 de março, não haverá expediente, em virtude do processo de transferência. Nos demais dias, operações normais na Central da Coplana.

O produtor vai poder contar ainda com uma nova estrutura no segundo semestre. A Central terá novas instalações no Distrito Industrial de Guariba, em um conceito mais moderno, dentro dos padrões atuais das unidades recebedoras e com capacidade também para atender os cooperados da Coplana e produtores da região.

A Central de Recebimento de Embalagens da Coplana, fundada em 1994, foi a primeira central do Brasil em funcionamento, seis anos antes da determinação legal. E foi o trabalho da Cooperativa e parceiros que serviu de fonte para a criação de legislação específica sobre o assunto, que viria a ser estabelecida em junho de 2000, com a promulgação da Lei Federal 9.974/00.

O trabalho em Guariba também serviu de referência para a implantação das demais unidades brasileiras, além de transformar-se em inspiração para países de todo o mundo.

Ao longo dos anos, a Central da Coplana sempre foi citada no setor como um caso de sucesso, tanto pela forma responsável com que foi gerida, como pela qualidade de suas operações e atendimento ao produtor. O comprometimento dos cooperados também merece ser destacado, visto que do volume adquirido na Cooperativa, perto de 100% das embalagens vazias têm a destinação correta, por meio da devolução em nossa Central.

Desta forma, a mudança de gestão vem coroar o trabalho de toda a equipe da Cooperativa, incluindo nossos colaboradores que atuaram e atuam nas operações, assim como os gestores técnicos. A dedicação ao Sistema Campo Limpo revelou todo o compromisso de nossos profissionais.

Aos nossos cooperados, reforçamos que o atendimento, permanece com a mesma equipe e, no momento, no mesmo local, bastando entrar em contato para qualquer esclarecimento ou necessidade. Lembramos ainda que o único dia sem expediente será 16 de março, para a migração das operações.

 

Mais informações: (16) 99643-8726 – Fábio.