Author Archives: admin

Dia Nacional do Campo Limpo reúne esforços para doações a entidades sociais em todo o Brasil

A 16ª edição do Dia Nacional do Campo Limpo, a exemplo de outros eventos adaptados em função da pandemia, foi realizado no formato on-line.  Com o tema “Celebrar conquistas e multiplicar solidariedade”, o evento teve, no dia 18 de agosto, atividades em 97 unidades de todo o país.

O objetivo do Sistema Campo Limpo foi arrecadar nove mil cestas básicas, o equivalente a mais de 140 toneladas de alimentos, para a distribuição a entidades assistenciais. A solidariedade foi a maneira de comemorar os resultados da logística reversa de embalagens de defensivos, uma referência mundial e que já destinou corretamente mais de 575 mil toneladas desde 2002.

A Coplana aderiu à campanha e converteu em 90 cestas básicas os recursos financeiros que seriam destinados às atividades presenciais. As cestas básicas foram entregues ao Asilo São Vicente de Paula, em Guariba/SP. “Além disso, este ano, pela primeira vez, estamos fazendo uma homenagem ao produtor que mais entregou embalagens em nossa Central, no caso, o cooperado Frank Daniel Polegato, que alcançou o maior volume de agosto de 2019 a agosto de 2020”, explicou o responsável pela Unidade, Fábio Elias (acompanhe os detalhes na próxima edição).

O inpEV (Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias), entidade gestora do Sistema, e revendas são responsáveis por promover as doações neste ano. “O Sistema mobilizou a comunidade para celebrar a data praticando o bem. Ao mesmo tempo em que reconhecemos o empenho de todos que mantiveram o Sistema funcionando com segurança e eficiência, reafirmamos nosso compromisso com a construção de uma sociedade melhor”, destaca João Cesar Rando, diretor-presidente do inpEV.

No dia 18, o Canal Terra Viva exibiu o programa “Agro 360 – Especial Dia Nacional do Campo Limpo”. Com a participação de representantes da cadeia produtiva e convidados, o programa mostrou ações de solidariedade em todo o Brasil. Na mesma semana, a Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo promoveu o “Dia de Campo: Caminhos do Agro SP”, e as redes sociais do inpEV divulgaram iniciativas das centrais, visitas virtuais às unidades de recebimento e uma apresentação teatral, direcionada a alunos do Ensino Fundamental.

Educação Cooperativa 2020

 

Atualização profissional e pessoal: uma condição para alcançar seus objetivos! 

Inscrições abertas para o Programa Educação Cooperativa, uma parceria entre Coplana e Sescoop/SP.

 

Buscando uma estratégia vencedora?

Use o conhecimento como ferramenta em seus negócios e colha resultados.

 

Inscrições gratuitas

  • Pelo site – www.coplana.com – Educação Cooperativa.
  • Podem se inscrever cooperados (as), jovens cooperados, esposas de cooperados, filhos (as), funcionários da administração da fazenda.
  • As inscrições se encerram sempre 10 dias antes da realização de cada curso.
  • As vagas são limitadas e podem se esgotar com antecedência.

 

Termo de compromisso

  • No ato da inscrição, pelo site da Cooperativa, é necessário concordar com o Termo de Compromisso referente à participação nas aulas.
  • Em caso de não participação, a Cooperativa reserva-se o direito de cobrar multa do inscrito. Ressalta-se que a inscrição somente será válida se o interessado clicar em “Aceitar Termo de Compromisso”.

 

Contatos para mais informações

  • (16) 3251-9233 – Isabella
  • (16) 3251-9285 – Pedro

 

Cursos on-line – Turma 2020

 

LIDERANÇA

17 de setembro

Duração: 4 horas

  • O líder e suas habilidades;
  • A liderança em cooperativas;
  • Ferramentas de liderança;
  • Autoanálise dos estilos de liderança;
  • O impacto do estilo de liderança nos resultados da equipe;
  • Gestão para resultados;
  • Estabelecimento de metas;
  • O processo decisório e a delegação;
  • Os processos de comunicação;
  • Transformar grupos em equipes;
  • Mediação de conflitos e motivação;
  • A influência das emoções no comportamento;
  • Ética, coaching e feedback;
  • O líder coach e os contextos de coaching;
  • Finalidade e tipos de feedback;
  • O que são código de ética, valores e princípios éticos;
  • Cultura organizacional ética;
  • A ética e a segurança no trabalho.

 

EXCEL INTERMEDIÁRIO

29 de outubro

Duração: 4 horas

  • Criando listas de ordenação personalizadas;
  • Operadores lógicos: a diferença entre “e” e “ou”;
  • Definindo e utilizando faixas de critérios;
  • Definindo critérios para validação de dados;
  • Tabelas dinâmicas;
  • Classificação e formatação de células vazias;
  • Gráficos dinâmicos;
  • Análise de dados com o Excel;
  • Formulários e filtros.

 

PROGRAMA 5 S/HOUSEKEEPING

27 de novembro

Duração: 4 horas

  • A Filosofia 5S;
  • Benefícios do Housekeeping (organização) no gerenciamento da manutenção, meio ambiente e segurança;
  • Como planejar sua implantação no seu ambiente de trabalho;
  • Facilitador 5S na Cooperativa;
  • Qualidade e excelência em gestão com a ferramenta 5S.

 

FORTALECIMENTO DE EQUIPES (MÉTODO VIVENCIAL)

3 de dezembro

Duração: 4 horas

  • Explanação sobre as atividades vivenciais externas e orientadas do programa;
  • A delegação no processo grupal;
  • Atuando com visão sistêmica;
  • Desafios em equipe: tomada de decisão e resolução de conflitos;
  • Superação e realização.

 

COMO FALAR EM PÚBLICO

4 de dezembro

Duração: 4 horas

  • Características de uma boa apresentação;
  • Timidez e medo de falar;
  • Como lidar com o medo;
  • Processo de comunicação;
  • Aparência, postura, movimentação, expressões faciais, gestos;
  • Articulação da fala, ritmo, entonação da voz, ênfase, ampliação do vocabulário, vícios de linguagem, gramática para comunicação oral, objetividade;
  • Interpelação e argumentação;
  • Etapas da apresentação, uso de recursos audiovisuais, formas de tornar o discurso mais atraente;
  • Ações perante as diferentes reações da plateia, preparação para a fala de improviso.

7ª Feira Coplana de Negócios é realizada onde o produtor está

Modelo enxuto, dinâmico e funcional torna-se diferença estratégica para os resultados na lavoura

Superar adversidades de forma rápida, eficaz e segura. É com este perfil de atuação que a Coplana mantém todo o seu movimento neste período atípico de pandemia. E não seria diferente no caso da 7ª Feira Coplana de Negócios, que começou dia 10 e vai até 31/08. Com a exigência do distanciamento social e, ao mesmo tempo, com o dever de continuar trabalhando em uma área essencial da economia, a Cooperativa adaptou-se rápido. Diretoria e gestores, junto com os demais membros da equipe, tomaram decisões estratégicas, com foco no atendimento ao produtor. A opção foi pela preservação da saúde junto com a qualidade dos serviços.

 

Funcionalidade e resultados

Ao estudar as alternativas para a realização da Feira, a equipe chegou a um modelo funcional por excelência, que oferece resultados diretos ao cooperado. A 7ª edição do evento  é promovida com o tema “Vamos até você!”. Agrônomos, coordenadores de Loja e vendedores se uniram em uma grande força operacional para visitar todos os cooperados, levando condições exclusivas para a aquisição de máquinas, tratores, implementos, insumos e sementes.

A conclusão da estratégia acontece com uma importante economia de recursos, devido a um sistema mais enxuto, simples e prático, aliado a uma negociação sem precedentes com os principais fornecedores do setor. O resultado de tudo isto é um significativo desconto ao cooperado. E por este ser o período do ano em que é preparado o novo ciclo de cereais, as compras planejadas e com preços competitivos fazem grande diferença nos resultados até o fim da safra.

 

Recomendação técnica

Uma outra vantagem do cooperado é o suporte de toda a equipe, levando ao campo não só a oportunidade de compra, mas a recomendação técnica. A seleção dos produtos é feita levando em consideração o perfil do produtor, recursos tecnológicos adotados em sua lavoura e necessidades. Com esta análise, possível graças a anos de proximidade e interação, o produtor tem a certeza de que o pacote tecnológico é o melhor no atendimento às suas demandas.

 

Prevenção como rotina

Para o convívio no ambiente de trabalho e no atendimento a produtores e população, a Coplana editou, já no dia 18 de março, um protocolo de prevenção ao coronavírus, que passou por diversos avanços. Comunicação permanente com os colaboradores e a criação de um comitê de contingências estão entre as ações. Para a segurança no relacionamento com o cooperado, também durante a Feira, a equipe segue as orientações de profissionais da área de saúde. Fazem parte da rotina, a aferição da temperatura antes do início de cada jornada de trabalho, o uso permanente de máscara, o distanciamento de 2 metros de outra pessoa e a higienização frequente das mãos. Além disso, o colaborador comunica imediatamente, o setor de Recursos Humanos ou ao seu supervisor, qualquer tipo de sintoma relacionado a gripe ou resfriado. Entre outros cuidados está ainda a higienização permanente de veículos e ambientes. Durante a Feira Coplana de Negócios, o cooperado será atendido por um único integrante que fará a visita, adotando todos os itens do protocolo de prevenção.

 

Cooperado (a), a 7ª Feira Coplana de Negócios está acontecendo onde você está.

 

Nós vamos até você!

Coplana e Basf realizam parceria para doação ao HSMI

No dia 24 de junho, a Coplana e a Basf realizaram uma doação ao Hospital e Maternidade Santa Isabel (HMSI), de Jaboticabal, de 80 cestas básicas, 120 potes de pasta de amendoim e 46 unidades de álcool em gel 70%. A doação fez parte das iniciativas da webinar “Cooperativismo como agente transformador”, sobre os desafios da pandemia, e da qual participou o presidente da Cooperativa, José Antonio de Souza Rossato Junior.

Representando a Coplana na doação, estava o Núcleo da Mulher. “É muito bacana ver que nossas ações conseguem alcançar a comunidade e beneficiá-la”, disse Daniele Bellodi Baratela, coordenadora do Núcleo. Estavam presentes também Tatiana Cristina Raiz Bento – vice-coordenadora, Simone Cristina de Mello Penariol – secretária do Núcleo e Thais Nucci – 1ª vogal.

Eseron Granemann, representante técnico de vendas da Basf, explicou que durante a webinar foi solicitado um patrocínio às empresas. “A Basf optou por transformar o patrocínio em cestas básicas, como uma contribuição à comunidade neste momento de maiores desafios”, salientou.

Renata Assirati, da área de Relacionamento do HMSI, lembrou que os produtos são muito bem-vindos, principalmente, devido ao aumento de custos em função da pandemia. “Fizemos reformas no hospital para receber os pacientes em uma unidade específica de Covid-19 e estamos tendo um gasto maior com nossas matérias-primas. Portanto, toda doação é extremamente importante e oportuna”, avaliou Renata.

Abasteça com Etanol!

A campanha “Abasteça com Etanol!” está sendo lançada por entidades do setor, incluindo a Coplana, Socicana e o Sicoob Coopecredi, no sentido de estimular o consumo do produto que oferece uma série de benefícios, como geração de empregos e renda, além de ser um combustível limpo, renovável e 100% nacional. Reconhecendo o papel do setor para as cidades, prefeituras da região também se mobilizam em apoio à campanha.

Segundo dados da Agência Internacional de Energia (IEA na sigla em inglês), o uso do etanol de cana-de-açúcar reduz em cerca de 90% a emissão de gases responsáveis pelo efeito estufa, se comparado com a gasolina. Em todo o ciclo de produção, o etanol lança menos Gás Carbônico (CO2) à atmosfera. Assim, substituição de combustíveis fósseis, em especial a gasolina, pelo etanol, gera benefícios ambientais e à saúde.

Além disso, o etanol tem um importante papel na economia brasileira e é uma das mais longas cadeias produtivas do agronegócio, gerando um milhão de empregos diretos e mais de três milhões indiretos. Segundo a Unica, o Estado de São Paulo possui cerca de 160 usinas e 14 mil fornecedores de cana, que, juntos, empregam diretamente mais de 500 mil trabalhadores e, indiretamente, ao menos 1,5 milhão, em mais de 450 cidades. 

A campanha “Abasteça com Etanol” é promovida em um momento de início da colheita de cana-de-açúcar no Brasil, com aumento da oferta do combustível. Ao mesmo tempo, o setor registra uma retração no consumo, devido à pandemia de covid-19 e ao distanciamento social no Brasil para conter a transmissão do coronavírus. Regiões como a nossa, no interior de São Paulo, têm sua economia fortemente amparada no agronegócio e, principalmente, na cana-de-açúcar. O fato de o setor sucronenergético manter suas atividades é um diferencial relevante para o movimento da economia de dezenas de municípios. Por isso, abastecer com etanol é uma atitude que reflete de forma positiva para o campo e para nossas cidades.

Devolução de embalagens na Central da Coplana será feita com agendamento

Devido às medidas preventivas relacionadas à Covid-19, doença infecciosa transmitida pelo coronavírus, solicitamos que, antes de se dirigir à Central de Recebimento de Embalagens da Coplana, seja feito o agendamento da entrega.  O agendamento contribui para que a equipe atenda todos os cooperados de forma adequada e segura, mantendo o protocolo de prevenção.

Outro resultado positivo alcançado, quando o produtor entra em contato para agendar o horário da devolução, é que a equipe pode ajustar melhor o acondicionamento dos vários tipos de materiais, pois há um limite na capacidade de armazenamento. 

O gerente do departamento Técnico-Comercial de Insumos, Marcelo Pacífico, ressalta que o benefício é do próprio produtor. “Com a programação, nós podemos manter a qualidade do atendimento e otimizar o trabalho da equipe. Trata-se de uma atitude simples, mas com um impacto muito positivo para todos”.

A Central de Recebimento de Embalagens recebe, todos os anos, cerca de 500 toneladas de embalagens vazias de defensivos. Além disso, recebe a visita de estudantes, técnicos e membros da comunidade, interessados na logística reversa.

Instalada em 1994, a Central da Coplana foi a primeira unidade recebedora deste tipo de material, tornando-se referência para o Brasil e o exterior. A entidade responsável pela coordenação do trabalho da cadeia produtiva no Brasil é o Inpev, Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias.

Solicitamos ainda que faça o uso de máscara no local e mantenha distância de 2 metros de outra pessoa.

Para agendar sua entrega na Central da Coplana:

  • (16) 3251-9244, com Mércia
  • (16) 99643-8726, com Fábio

Coplana e parceiros realizam o 7º Dia de Campo Variedades de Soja

O 7º Dia de Campo Variedades de Soja, realizado no dia 7 de fevereiro, reuniu nove empresas especializadas para a apresentação de 22 variedades e insumos de diversas marcas. O evento é organizado pelo departamento de Tecnologia Agrícola e Inovação da Coplana, com o apoio da família Baratela, que recebe os produtores em sua propriedade, a Fazenda Santa Cecília. A iniciativa tem crescido a cada ano, assim como o engajamento do produtor.

Para o presidente da Cooperativa, José Antonio Rossato Junior, uma conjunção de fatores contribuiu para os resultados positivos deste ano. “Segundo o IEA (Instituto de Economia Agrícola), o Estado de São Paulo tem produtividade estimada para esta safra de 55 sacas/ha. Todavia, a expectativa da Cooperativa e dos nossos produtores é de uma produtividade significativamente superior. Mesmo no caso de variedades precoces, normalmente com teto produtivo mais baixo, o comportamento do clima nesta safra e a incorporação de novas tecnologias trazem uma expectativa de produtividade superior”, avaliou Rossato, parabenizando os produtores, a equipe da Coplana e os parceiros.

O gestor do departamento de Tecnologia Agrícola e Inovação, Eduardo Maniezo Rodriguez, avaliou o suporte oferecido para a escolha de variedades. “Tivemos muitas informações, que vão contribuir com o produtor na tomada de decisão sobre qual material plantar. O evento ocorreu em uma data boa, pois ainda não havia sido iniciada a colheita na maior parte das lavouras, viabilizando a participação do produtor. A lavoura estava muito bonita, decorrente das condições climáticas que estiveram favoráveis, mas também em função de um bom manejo fitossanitário e nutricional, realizado com insumos de alta qualidade”, avaliou.

Rodriguez falou também das parcerias. “Buscamos os fornecedores que estão diretamente envolvidos nos programas de desenvolvimento de variedades de soja; limitamos de duas a três variedades por empresa, sendo estas as principais variedades recomendadas para nossa região, lembrando que o nosso produtor cultiva soja na reforma do canavial e necessita de materiais precoces e produtivos.

A engenheira agrônoma Thais Meirelles Rodrigues da Silva, do departamento de Tecnologia Agrícola e Inovação, considerou o evento um sucesso. “Conseguimos mais que dobrar a quantidade de variedades de soja em relação ao evento do ano passado, totalizando 22 variedades, possibilitando maior conhecimento e comparação dos materiais pelos nossos cooperados. Além disso, utilizamos um manejo fitossanitário e nutricional bastante eficiente, associando produtos de empresas parceiras. Recebemos vários retornos positivos dos cooperados e esperamos melhorar ainda mais para o próximo ano”, salientou Thais.

Por parte dos produtores, a aprovação foi geral, com a contribuição, inclusive das condições do clima. “O evento estava muito bem organizado, e tivemos sorte que só choveu quando o dia de campo acabou”, comentou Lincoln Arruda.

O produtor Sérgio de Souza Nakagi reforçou o papel da Co- operativa e parceiros. “O Dia de Campo é um importante evento. Para nós, sojicultores da Coplana, é um norte sobre quais variedades se adaptam melhor à nossa região, tanto na questão produtividade, sanidade, resistência a doenças e pragas, como ciclo mais curto para o plantio da cana-de-açúcar, além da troca de informação com outros produtores.” Nakagi também comentou sobre o otimismo dos colegas produtores em relação à safra 2019/2020, em função do bom preço da saca da soja e regime de chuvas favorável ao bom desempenho da planta.

Beatriz Candeloro Trevisani, filha do produtor Itamar Trevisani, ficou surpresa com a organização. “Produzimos cana e fazemos rotação com amendoim. Achei o evento extremamente esclarecedor. Fiquei admirada desde a organização até a quantidade de variedades e produtos que existem para aumentar a produtividade. O desenvolvimento da tecnologia na agricultura está nos ajudando muito. O manejo certo, o uso de drones e a parte genética, informações apresentadas no dia de campo, mostram que temos muito com o que contar. E temos a equipe da Coplana que nos oferece um suporte enorme”, disse Beatriz.

Participaram do 7º Dia de Campo Variedades de Soja Coplana, nesta ordem de exposição, a Corteva, Stoller, TimacAgro, Brasmax, Nidera Sementes, Agroeste, DonMario, Inquima, Monsoy, Pioneer, TMG, Fundação Meridional (Embrapa), Compass, Ourofino e InterDrones. Na Fazenda Santa Cecília, o suporte foi oferecido por José Francisco Baratela, pelas filhas Juliana Bellodi Baratela e Danielle Bellodi Baratela, bem como pelo gerente Tiago Veronezi.

 

Núcleo da Mulher conhece mercado do café em visita à Cocapec

Como parte de sua programação de 2020, o Núcleo da Mulher da Coplana promoveu uma visita à Cooperativa de Cafeicultores e Agropecuaristas, Cocapec, em Franca/SP, no dia 31 de janeiro. Participaram, além de cooperados e cooperadas, esposas, filhos e filhas, que foram recebidos por Saulo de Carvalho Faleiros, diretor secretário da Cocapec.

Ele explicou que a cooperativa tem nove comitês educativos, que são a força do canal de comunicação com o cooperado. “Temos um comitê em cada filial. Grande parte do que foi decidido em nossa cooperativa passou pelos comitês”, explicou. Segundo ele, o maior desafio da Cocapec é a sucessão. “O nível de fidelidade dos cooperados fundadores é bem maior do que o dos mais recentes. Nosso desafio, portanto, é conquistar a adesão dos jovens. Estamos tentando fazer o jovem entender o valor da cooperativa nos serviços integrados que ela leva ao seu negócio”, comentou Faleiros.

O diretor complementa que, em relação a estrutura e logística, a cooperativa está de acordo com o planejado pela Diretoria Executiva e Conselho de Administração, com armazém informatizado, loja com 28 mil itens, sete unidades, 309 colaboradores e 2.793 cooperados, sendo 86% de pequenos produtores.

A superintendente da Coplana, Mirela Gradim, avaliou a visita como muito produtiva, principalmente para a compreensão sobre a forma de fixação de preços do café e insumos. “Foi importante para esclarecer a diferença entre um produto que é commodity, como o café, e os que não são, como cana-de-açúcar e amendoim. Também conseguimos analisar a armazenagem. A troca de experiências é sempre muito produtiva”, disse.

Mirela destacou ainda que a visita possibilitou a percepção de que duas cooperativas com produtos distintos passam pelos mesmos desafios. “Como sucessão de cooperados, nova geração, fidelização e necessidade permanente de mostrar os valores da cooperativa, que vão além do preço da matéria-prima”, citou. Entre todos os membros do grupo que participaram, a sensação foi a mesma: a visita à Cocapec ratificou a importância do cooperativismo, de uma administração comprometida e do enfrentamento dos desafios que são comuns à maior parte das cooperativas.

A coordenadora do Núcleo da Mulher, Danielle Bellodi Baratela, considerou uma experiência de muito aprendizado. “Comparada à Cooxupé, que também é co- operativa de café e que nós já visitamos, a estrutura é menor, porém a organização me chamou a atenção. O armazenamento deles é de ponta, com chip de identificação do produto e do produtor. Valeu muito a pena conhecer o trabalho social desenvolvido. Já o investimento que a Coplana está fazendo, proporcionando estas visitas, é excelente. A tendência é o aumento da participação de cooperados nestas ações”, opinou Danielle.

O vice-coordenador do Lideragro, Bruno Homem, aprovou mais esta iniciativa da Coplana. “A Cocapec se mostrou extremamente engajada em seu negócio, na busca da superação dos desafios e contínua melhoria para seus cooperados. Gostei muito da viagem técnica, foi de grande aproveitamento. Apesar deles trabalharem com um produto que é commodity, diferente do nosso caso, temos muitos fatores em comum, principalmente a relação com o cooperado. Com certeza, muitos outros cooperados deveriam ter participado”, observou Bruno.

O produtor Adair Vieira Ribeiro ficou entusiasmado e destacou não só a receptividade da cooperativa de Franca, mas também a dedicação da Coplana em promover o intercâmbio. “Eu não imaginava que íamos conhecer uma cooperativa daquele porte, grande, organizada, todos muito educados. Foi muito produtivo e interessante. Gostei demais da visita. Agradeço à Coplana porque faz tudo pelo seu cooperado”, elogiou Adair.

Um pouco mais sobre a Cocapec

Fundada em 11 de julho de 1985, em Franca/SP, a Cooperativa de Cafeicultores e Agropecuaristas, Cocapec, conta com 2.793 cooperados, tendo transformado o cenário da cafeicultura da região e motivado o crescimento tecnológico no campo. São 13 municípios da região da Alta Mogiana atendidos pela matriz (Franca/SP), além dos núcleos nas cidades de Capetinga, Claraval, Ibiraci e São Tomás, em Minas Gerais; Cristais Paulista e Pedregulho, em São Paulo.

Núcleos de Desenvolvimento Coplana

Em reunião, análise econômica e balanço das atividades

Representantes dos Núcleos de Desenvolvimento Coplana reuniram-se com a Diretoria da Cooperativa e com gestores, em dezembro, para um balanço das atividades do ano e alinhamento sobre as próximas ações. Como temas centrais, uma palestra sobre mercado, o planejamento estratégico da Cooperativa para 2020 a 2024 e as considerações dos representantes dos Núcleos, sobre suas atividades e o futuro da Coplana.

Na palestra, o analista sênior de Consultoria em Agronegócio do Itaú BBA, Cezar Castro Alves, apresentou uma análise sobre a atual situação econômica do Brasil. “A briga comercial entre Estados Unidos e China está sendo boa para o Brasil, que, no entanto, está tendo uma recuperação econômica assimétrica em suas regiões e setores. Onde existe mais ‘agro’ está melhor. Onde a indústria é mais forte está problemático”, disse o consultor. Ele analisou também os preços de commodities. “No caso do açúcar, o aumento pode ser limitado pelos altos estoques indianos. Já para os preços do etanol, os fundamentos seguem positivos”, comentou Cezar, acrescentando que, no caso da soja, os estoques também estão elevados.

O futuro da Cooperativa

Sobre os próximos passos na Coplana, a superintendente Mirela Gradim falou da elaboração do Planejamento Estratégico, uma ferramenta fundamental para o crescimento da Cooperativa. “O Planejamento Estratégico 2020/2024 foi elaborado a partir de um trabalho árduo, que culminou em um projeto muito desafiador. Levamos em consideração nosso crescimento, o retorno e o controle de riscos, assim como o trabalho de segmentação para atender às necessidades do nosso cooperado”, ressaltou.

A Coplana e os Núcleos

Sobre a relação com os Núcleos, o presidente a Coplana, José Antonio Rossato Junior destacou o importante papel na relação com o quadro social. “O resultado dos Núcleos em 2019 é muito positivo, nos auxiliando no direcionamento das estratégias da Cooperativa, além de atuarem como uma ferramenta de aproximação com o cooperado”, afirmou. Rossato também falou do início de uma recuperação econômica. “Temos expectativas de um ano mais positivo em relação ao ambiente de negócios. Para as lavouras, a despeito do desempenho de 2019, também temos uma perspectiva melhor tanto de produtividade como de preço. Não numa velocidade que gostaríamos, mas há um viés de alta se aproximando.  Há desafios na economia, mas o ambiente começa a voltar para os trilhos, o que acaba contagiando o País como um todo”, concluiu.

A opinião dos representantes

“No Núcleo, observamos uma evolução amparada por aprendizados, amadurecimento dos participantes e credibilidade da Diretoria e Conselhos em relação ao nosso trabalho. Vejo com bons olhos os Núcleos cuidando da diversificação de renda dos cooperados, busca pela inserção da mulher na atividade e sucessão do negócio através do Lideragro. O grande desafio deste século é o crescimento sustentável, condição que os Núcleos têm buscado junto à Coplana. Esperamos que 2020 seja um ano de inovações e aberturas de novos horizontes.”
Azael Pizzolato Junior, coordenador do Núcleo Silos

“O ano começou com uma renovação e aumento dos membros dos Núcleos. Isso ajudou muito a construir as novas pautas. Em nosso primeiro encontro, fizemos um ‘tour’ por todas as lojas da Coplana para ver a situação de cada uma e dar início aos trabalhos. Discutimos itens que faltavam nas lojas e sugestões de novos produtos. Em seguida, acompanhamos brevemente o andamento do Planejamento Estratégico também para a área das lojas. Por fim, debatemos pautas específicas do negócio.”
Fernando Escaroupa, coordenador do Núcleo Varejo

“Os núcleos têm se solidificado e engrandecido as atividades da Cooperativa, ao mesmo tempo em que dão voz ao produtor. Prova disto é a abertura que a Diretoria deu durante esta reunião aos integrantes, apresentando o Planejamento Estratégico e nos permitindo opinar. Nossa expectativa para 2020 é conseguir concluir o que foi planejado, ou seja, colocar em prática as propostas que viabilizam o crescimento da Cooperativa.”
Azael Pizzolato Neto, coordenador do Núcleo Insumos, Tecnologia e Inovação

“Estamos crescendo. A atuação dos núcleos aumentou, mas a participação do cooperado ainda é pequena. Na reunião, surgiram algumas ideias, como ocupar um espaço do Informativo do Produtor, uma coluna com as informações da agenda do Núcleo da Mulher. Inclusive, para 2020 já temos a agenda de eventos fechada, com uma atividade bimestral, perfazendo seis eventos durante o ano. Nós vemos uma constante e gradual integração dos Núcleos de Negócios Coplana.”
Danielle Bellodi Baratela, coordenadora do Núcleo da Mulher

A reunião foi excelente. A palestra sobre macroeconomia mostrou que o País caminha no rumo certo, e se continuar assim teremos retomada de crescimento. No Núcleo Amendoim, tivemos bons progressos, mas temos ainda muita coisa para pensar e melhorar. O setor e a agricultura não param, e as demandas também não.
Nilton Souza Júnior, coordenador do Núcleo Amendoim

Assessoria: Neomarc Comunicação / Reportagem: Renata Massafera

Núcleo da Mulher entrega doação ao Hospital de Amor

Valor da doação, em 2019, foi de quase R$ 74 mil

 

“Muito obrigado. Seu amor chegou até nós.” O agradecimento do Hospital de Amor de Barretos foi dirigido à Coplana, que pelo 14º ano consecutivo, por meio de produtores de grãos cooperados, realizou a doação ao Hospital, referência no Brasil e exterior pelo tratamento de pacientes com câncer.

Em dezembro, o Núcleo da Mulher da Coplana, representado por Danielle Bellodi Baratela, Tatiana Bento, Simone Penariol, Thaís Nucci e Tamíris Gregório, entregou ao gerente de Captação de Recursos do Hospital, Luiz Antônio Zardini, o cheque de R$ 73.980,99 (setenta e três mil, novecentos e oitenta reais e noventa e nove centavos). Ele enfatizou que esta mobilização da Cooperativa tem contribuído para manter a excelência do atendimento, o trabalho sério e a ajuda a milhares de pessoas de todo o Brasil. Para se ter uma ideia da importância das doações, atualmente, o déficit mensal da instituição chega a R$ 20 milhões.

“Vocês investiram na vida. Em nome de nossos pacientes, familiares, médicos e colaboradores, nosso muito obrigado”, completou Zardini.

Desde 2006, os produtores de grãos cooperados informam, na entrega de sua produção na Cooperativa, qual parcela deve ser destinada ao Hospital. A Coplana realiza a comercialização, e a quantia doada é fruto desta contribuição conjunta.

Danielle Baratela, coordenadora do Núcleo da Mulher, enfatizou que esta foi uma experiência marcante. “Conhecemos toda a história do Hospital de Amor e tivemos um panorama de tudo o que está acontecendo. Vamos tentar trazer a carreta de prevenção de câncer de mama para Jaboticabal. A doação deste ano superou a do ano anterior, e eles ficaram muito felizes”, concluiu.

Assessoria: Neomarc Comunicação / Reportagem: Renata Massafera

 

Saiba mais…