Author Archives: admin

LogEduCoop

Educação Cooperativa 2018

Está aberta mais uma temporada de cursos para seu desenvolvimento profissional e pessoal!

Turmas 2018
Você já pode fazer sua inscrição para o Programa Educação Cooperativa, uma parceria entre Coplana e Sescoop/SP.
Leve conhecimentos de impacto para seus negócios, seu trabalho e sua vida!

• Aulas no Auditório da Socicana
Rua José Mazzi, 1450
Vila Garavello, Guariba/SP
Sempre das 8h às 17h

Inscrições gratuitas
• Pelo site - www.coplana.com - Educação Cooperativa.
• Podem se inscrever cooperados, jovens cooperados, esposas de cooperados, filhos, funcionários da administração da fazenda.
• As inscrições se encerram sempre 10 dias antes da realização de cada curso.
• As vagas são limitadas e podem se esgotar com antecedência.

Termo de compromisso
• No ato da inscrição, pelo site da Cooperativa, é necessário concordar com o Termo de Compromisso referente ao comparecimento às aulas.
• Em caso do não comparecimento, a Cooperativa reserva-se o direito de cobrar multa do inscrito. Ressalta-se que
a inscrição somente será válida se o interessado clicar em "Aceitar Termo de Compromisso".

Contatos para esclarecimentos
(16) 3251-9233 - Tamiris
(16) 3251-9285 – Pedro

JORNADA EMOCIONAL
Agregando valor com as cinco competências emocionais
26 e 27 de abril
16 horas de duração
• Autoconhecimento - necessidades e valores, objetivo e foco, canais sensoriais
• Autocontrole - tempo racional e emocional - porque as pessoas reagem de formas diferentes a mensagens idênticas?
• Empatia - resiliência, comunicação empática e assertiva, escuta empática
• Flexibilidade - feedback, administração de conflitos e alinhamento de valores
• Habilidade social - ética e valores, política e sustentabilidade, rapport.

 

GESTÃO DO TEMPO
24 de maio
8 horas de duração
• Por que administrar o tempo?
• A gestão do tempo aumentando a produtividade no trabalho
• Controlando seu tempo
• Administração por objetivos
• Gestão do tempo e redução do estresse
• Alguns passos para gerenciar seu tempo com maior eficácia
• Ferramentas de gestão do tempo
• Erros e falhas na gestão do tempo.

 

TRABALHO SOB PRESSÃO
25 de maio
8 horas de duração
• Como manter a calma
• Solução de problemas - alternativa mais comum
• Desafios - como enfrentá-los com sucesso
• Utilização do tempo - foco no alcance de objetivos
• Controle do estresse
• Exercício da reflexão - pensar antes de fazer
• Qualidade de vida - mantendo as condições pessoais e profissionais.

 

PLANEJAMENTO FINANCEIRO
28 e 29 de junho
16 horas de duração
• Administração financeira
• Análise de demonstrações financeiras
• Indicadores econômico-financeiros
• Fatores que influenciam o planejamento
• Aplicação de recursos
• Controles financeiros
• Projeção de fluxo de caixa
• Definição de metas com base nos resultados gerenciais.

 

PROGRAMAÇÃO NEUROLINGUÍSTICA
26 e 27 de julho
16 horas de duração
• Formação de uma imagem positiva perante o público de interesse
• Construção de relacionamentos satisfatórios
• Identificação de necessidades para a geração de oportunidades
• Trabalho com a adversidade - solução de problemas que emergem
• Teoria da adversidade - trabalhando os problemas como desafios
• Superação de barreiras com o potencial existente em cada um.

 

COMUNICAÇÃO ASSERTIVA
30 de Agosto
8 horas de duração
• Vícios de linguagem
• Atitudes adequadas e inadequadas
• O processo de comunicação
• Canais de comunicação
• Distorções e barreiras no processo de comunicação
• Percepção e modelos mentais
• Estilos de comunicação e seus impactos
• Comunicação escrita
• Comunicação telefônica
• Comunicação assertiva
• Componentes do discurso - gestos, tom, volume, etc.
• Como lidar com posturas agressivas, passivas e assertivas
• Como dar feedback
• Como ter foco em reuniões.

 

TOMADA DE DECISÃO
31 de Agosto
8 horas de duração
• Entendendo o conceito de decisão
• Decisões estruturadas e não estruturadas
• Análise de cenários
• Avaliação das opções e escolhas
• Decisões individuais e coletivas
• Aspectos comportamentais da tomada de decisão
• Metodologia para a eficácia na tomada de decisão.

 

COACHING E FEEDBACK
27 e 28 de Setembro
16 horas de duração
• O líder coach
• Os contextos de coaching
• O relacionamento de coaching na prática
• Princípios e práticas de coaching
• O processo de comunicação
• Autoconhecimento e feedback
• Exposição e feedback
• Finalidade do feedback
• Tipos de feedback.

 

CRIATIVIDADE E INOVAÇÃO
25 e 26 de Outubro
16 horas de duração
• O pensamento criativo
• Criatividade X Inovação
• Os lados do cérebro
• Bloqueios e resistências
• Ferramentas da criatividade
• Chuva de ideias.

Aproveite a oportunidade!
Coloque novos aprendizados em sua agenda e colha resultados nos negócios e no trabalho.
clique aqui para fazer sua inscrição.

 

nucleos1

Diretoria da Coplana promove reunião com seus Núcleos

Uma reunião com o propósito de integração e apresentação de resultados serviu para ratificar que o projeto inédito da Coplana de reestruturação dos núcleos de discussão deu certo e está, inclusive, servindo de referência para outras cooperativas. O encontro aconteceu no dia 27 de junho, no auditório da Socicana, em Guariba, e contou com a presença de membros do Conselho e da Diretoria, integrantes dos Núcleos e colaboradores.

Depois de serem recebidos com as boas-vindas, os membros dos Núcleos da Coplana acompanharam a palestra “Cenário Econômico do Brasil e Mundo”, com o economista do Rabobank, Maurício Oreng. Com 15 anos de experiência em pesquisa macroeconômica voltada para o mercado financeiro, o executivo apresentou dados, perspectivas e cenários para a economia nacional e mundial.

Posteriormente à palestra, cada coordenador apresentou o resultado da atuação de seu Núcleo, as ações e os principais desafios. O primeiro a apresentar foi Azael Pizzolato Junior, coordenador do Núcleo Insumos, Tecnologia e Inovação. Em seguida, foi a vez de Fernando Escaroupa Panobianco fazer um resumo das principais atividades desenvolvidas pelo Núcleo Varejo. Nilton Souza Junior veio logo depois e compartilhou com os presentes como o Núcleo Amendoim se comportou e quais os seus objetivos.

O mesmo aconteceu com o coordenador do Núcleo Silos, Murilo Morelli, que forneceu vários dados acerca de seu Núcleo. Priscila Fumes Bellodi veio em seguida, destacando não só as ações implementadas pelo Núcleo da Mulher, bem como enfatizando a importância da criação do Núcleo. Carlos Machado, coordenador do Lideragro levantou a mesma bandeira e mostrou não só como o Núcleo dos Jovens da Coplana tem atuado, mas também para onde deve caminhar.


O encerramento do encontro foi realizado pela superintendente da Coplana, Mirela Gradim, e pelo presidente José Antonio Rossato Junior, que ouviram sugestões dos participantes da reunião. Ambos avaliaram o encontro como positivo. “O evento foi fantástico. A participação dos membros dos Núcleos faz com que nossa estratégia seja traçada conforme a expectativa de nossos cooperados. Constatamos o quanto todos estão engajados, o que contribui muito para o crescimento da Cooperativa. Estamos no caminho certo”, afirmou Mirela. Rossato, por sua vez, destacou o sucesso da reunião em virtude do número de adesões e dos itens apresentados. “Os Núcleos tem apresentado um elevado nível de comprometimento acerca de ações e sugestões de caráter operacional,  tático e estratégico. Nesta oportunidade, os Núcleos trouxeram as principais realizações e avanços ao longo dos últimos dezoito meses. Ainda, foi um momento importante para a interação entre os membros dos Núcleos e destes com a liderança da Cooperativa. Esta iniciativa aproxima ainda mais o cooperado da nossa equipe e do Conselho, o que nos possibilita direcionamento estratégico e tomada de decisões com maior assertividade”, concluiu.

Fotos e Produção de texto: Renata Massafera – Neomarc

ABAG4

Professores da região conhecem instalações da Coplana e discutem cooperativismo e associativismo

 

No dia 20 de junho, 55 professores de nove cidades da região (Analândia, Cajobi, Porto Ferreira, Cravinhos, Dobrada, Dumont, Guariba, Ibitinga e Jardinópolis) visitaram a Coplana e a Socicana, como parte de mais uma iniciativa da ABAG/RP (Associação Brasileira do Agronegócio da Região de Ribeirão Preto).

No auditório da Socicana, em Guariba, o grupo conversou com o presidente da Cooperativa, José Antonio de Souza Rossato Junior, e com o presidente da Associação, Bruno Rangel Geraldo Martins, sobre organização dos produtores, cadeias produtivas e a importância do agronegócio.

Rossato abordou questões urbanas e rurais, detalhou a cadeia do agronegócio e explicou o conceito de cooperativismo, traçando um panorama do início até hoje em todo o mundo. “O cooperativismo é um sistema que prima pelo desenvolvimento do social através do econômico. Sem o cooperativismo não chegaríamos aonde estamos. Ao longo dos 55 anos, a Coplana tem se adaptado às transformações da agricultura com a missão de gerar valor para o nosso produtor. E através da governança, equilibramos os três papéis simultâneos ocupados pelo nosso cooperado: cliente, fornecedor e acionista”, comentou.

O presidente da Socicana apresentou a Associação e lembrou que enquanto a Coplana atua nas áreas de cana e culturas em rotação, com destaque para amendoim, a Socicana é focada na cana-de-açúcar. “Funcionamos com uma espécie de sindicato, que vai atrás dos interesses da nossa categoria”, disse, fazendo um paralelo e mostrando em dados e números a força do associativismo no desenvolvimento social e econômico do país.

Após as apresentações no auditório, o grupo partiu para a Central de Recebimento de Embalagens (CRE), onde conheceram mais detalhes deste processo pioneiro no Brasil. O colaborador Fábio Paiva, responsável pela Central, recebeu o grupo e mostrou cada etapa do processo que serviu de exemplo, inclusive, para padronizar os procedimentos de logística reversa de embalagens de defensivos no Brasil.

Após o almoço, o grupo se deslocou para Jaboticabal para conhecer a Unidade de Grãos. Os professores caminhavam pela planta industrial admirados com a estrutura. A professora de Ibitinga, Renata Junqueira, se surpreendeu com cada etapa do processo e contou que o marido caminhoneiro transporta grãos, mas que ela não tinha a menor noção do tamanho e da importância do agronegócio.

Yeda Christóforo Petrassi, professora de Guariba, contou que era a primeira vez que participava da visita e falou de uma curiosidade: ela é nora de um dos fundadores da Coplana, Orlando Petrassi, já falecido. “Mesmo estando dentro da família, eu não tinha ideia da magnitude deste empreendimento. Foi muito bom, não apenas conhecer a Coplana, mas também aprender mais sobre a importância do cooperativismo”, encerrou Yeda.

 

Fotos e Produção de texto: Renata Massafera – Neomarc

IMG_8089

Exposição comemorativa marca o aniversário de 55 anos da Coplana

Com abertura no dia 7 de junho, a Exposição Coplana permanece no Jaboticabal Shopping até o dia 17 de junho e depois segue para suas filiais nas cidades da região

A noite de 7 de junho foi de comemoração não só para a Coplana – Cooperativa Agroindustrial, que completou 55 anos de fundação no dia 28 de março, mas para as comunidades de Jaboticabal, Guariba, onde fica a matriz, e cidades onde a Cooperativa atua, como Taquaritinga, Dumont, Pradópolis, Batatais, Colina, Catanduva, Monte Aprazível e Frutal (MG).

A abertura da Exposição Comemorativa contou com a presença de autoridades políticas, representantes de entidades, cooperados, familiares, colaboradores e membros da cidade. Todos concordam que uma cooperativa que se mantém forte há mais de meio século tem papel relevante para o desenvolvimento econômico e social da região.

Com itens de portfólio e fotos que marcaram a trajetória da Cooperativa, a Exposição permanecerá no Jaboticabal Shopping até o dia 17 deste mês, seguindo para as filiais da Coplana na região. A abertura do evento foi um momento de aproximação com a comunidade, que passou a conhecer um pouco mais da história de sucesso que levou a Coplana a projetar Jaboticabal como grande polo produtor de cana-de-açúcar e Capital do Amendoim no cenário estadual, além de Guariba como sede da principal exportadora de amendoim para a União Europeia.

O diretor do Jaboticabal Shopping, Wladimir Morgatto, falou sobre a honra de sediar a exposição que conta uma história de sucesso e empreendedorismo. “É uma satisfação receber a Coplana aqui, uma vez que ela representa a força do agronegócio da região não só nos segmentos de grãos, mas também na cana”, disse Wladimir, encontrando respaldo nas palavras do vice-prefeito de Jaboticabal, Vitório De Simoni, que parabenizou a Cooperativa pelo aniversário e lembrou que graças à atuação da Coplana Jaboticabal tornou-se a “Capital do Amendoim” do Estado de São Paulo.

O prefeito de Guariba, Dr. Francisco Dias Mançano Júnior, não só agradeceu pelo desenvolvimento que a Coplana trouxe para o município, mas também para sua própria trajetória, que foi influenciada pela Cooperativa. “Eu criei raízes em Guariba, onde vivo e trabalho, muito por influência da Coplana, que me permitiu viver em um local cujo cenário foi mudado diante do desenvolvimento que a Cooperativa trouxe para a cidade, representando um grande volume de emprego e renda”, contou Mançano.

O presidente da Coplana, José Antonio de Souza Rossato Junior, contou para os presentes como começou a história da Cooperativa, com a iniciativa de 13 produtores pelos quais todos têm profunda gratidão, até os objetivos que movem a Coplana nos dias de hoje e a bem sucedida receita entre a tradição e a inovação. “Qual o segredo de uma cooperativa de sucesso? Qual o segredo de uma cooperativa que chega até aqui olhando para os próximos 55 anos? Para encontrar a resposta é importante mergulharmos na história da Coplana e perceber que são as pessoas (cooperados, equipe e parceiros) as responsáveis pelo legado da Coplana e por manterem viva a mentalidade dos seus fundadores até hoje. A escolha do Jaboticabal Shopping para sediar a Exposição Comemorativa dos 55 anos teve um propósito: aproximar uma sociedade, cada vez mais urbana, da essência do mundo rural e da importância do agronegócio na vida de cada um. Estreitamos este relacionamento com a sociedade e aproveitamos para mostrar um pouco do nosso trabalho e da nossa história”, comentou Rossato. Ele agradeceu também a cada produtor e colaborador pela participação no processo que resultou uma cooperativa sólida, arrojada e que conseguiu consolidar-se como presença marcante na produção de cana-de-açúcar e das culturas em rotação, gerando alimento e energia, emprego, renda e reconhecimento.

Fotos: Ewerton Alves / Produção de texto: Renata Massafera – Neomarc

rossato1

Presidente da Coplana é homenageado na premiação “Deusa Ceres” da Associação dos Engenheiros Agrônomos do Estado de São Paulo

No dia 2 de maio, o presidente da Coplana, José Antonio de Souza Rossato Junior, recebeu a medalha “Fernando Costa” na categoria Cooperativismo, no prêmio Deusa Ceres 2018, da Associação dos Engenheiros Agrônomos do Estado de São Paulo (Aeasp).

A cerimônia da Deusa Ceres é um dos eventos mais aguardados pelos profissionais das ciências agrárias do estado de São Paulo. A solenidade, realizada anualmente desde 1972, reúne engenheiros agrônomos e suas famílias, autoridades e representantes do agronegócio em uma premiação aos profissionais que se destacaram em suas áreas. O evento foi realizado durante a 25ª edição da Agrishow, no auditório do IAC (Instituto Agronômico), com a presença de  cerca de 400 pessoas.

“Quando ele era meu aluno na disciplina Cooperativismo, na Unesp Jaboticabal, foi eleito pela turma como presidente da nossa cooperativa. Seu desempenho à época já mostrava onde ele iria chegar. Sabia com clareza o que queria, era determinado, tinha todos os vértices necessários a um líder. Quando ele passou a integrar o conselho da Coplana, ratifiquei o que pensava sobre ele. Tive a certeza que ele seria um sucesso. E hoje, na presidência da Coplana, ele mostra diariamente porque merece esta homenagem.” As palavras emocionadas sobre José Rossato Junior são do Prof. Dr. Roberto Rodrigues, ex-ministro da Agricultura e ex-diretor da Coplana, que também prestigiou a homenagem.

O presidente da Socicana, Bruno Rangel Geraldo Martins, comentou que a homenagem reflete uma trajetória de anos de empenho. “O Rossato vem atuando na Coplana há muito tempo, com dedicação, responsabilidade, sempre sendo uma pessoa muito estudiosa e que sabe o que quer. Hoje, ele colhe os frutos do esforço que fez durante toda sua vida. Este reconhecimento é mais do que devido”, reforçou.

Francisco Antonio de Laurentiis Filho, diretor secretário e ex-presidente da Cooperativa, lembrou que a homenagem a Rossato é o reconhecimento de um trabalho que começou há algum tempo. “Ele se envolveu de corpo e alma no cooperativismo e apresentou um crescimento pessoal visível. Hoje, ele é um jovem cobiçado por empresas e cooperativas. Uma pessoa tão jovem e que já tem um equilíbrio e um bom senso admiráveis”, afirmou.

A superintendente da Coplana, Mirela Gradim, lembra que prêmio é o reconhecimento pela atuação de Rossato no cooperativismo. “O Rossato desde muito jovem, ainda no colégio já teve um contato profundo com o cooperativismo e o associativismo e se tornou fã do assunto. Além de ter escolhido a carreira de engenheiro agrônomo, ele também resolveu contribuir com a Coplana, quando participou ativamente do Núcleo Jovem (na época) e do Núcleo de Cooperados. Ao ser destaque nesta espécie de escola, imediatamente o conselho da Coplana o chamou para participar do conselho fiscal, depois do conselho de administração e, finalmente, chegando à presidência. É um feito inédito em nossa Cooperativa e totalmente merecido por sua atuação”, elogiou Mirela. Para ela, algumas características do presidente da Coplana justificam o sucesso de sua trajetória: seu jeito polido, engajador e conciliador. “São peças fundamentais para manter a harmonia dentro da Coplana”, completou.

O presidente da Coplana, por sua, vez agradeceu a homenagem da Aeasp, parabenizou os colegas e citou Marcos Landell, um dos homenageados, como representante de todos e contou sua trajetória. “Fiz Colégio Técnico Agrícola por influência do meu pai, que se formou em 1970 no CTA. Devo a ele e à minha mãe parte da paixão que tenho pela agronomia, área que me apresentou também à minha alma gêmea, minha esposa. Agradeço aos meus professores da Unesp Jaboticabal e, principalmente, os professores Domingos Fornazieri Filho e Odair Fernandes, além de dois expoentes do agronegócio: Mônika Bergamaschi e Roberto Rodrigues”, discursou.

Rossato continuou citando os parceiros, a equipe da Coplana, representada pela superintende Mirela Gradim, e o apoio que sempre teve de amigos como Francisco Antonio de Laurentiis Filho (Fito) e Bruno Rangel Geraldo Martins, entre tantos que, segundo Rossato, são coautores de sua história.


Um prêmio que valoriza os profissionais da agricultura e da pecuária

O Conselho Deliberativo da Aeasp, membros da Diretoria Executiva e do Conselho Fiscal elegem os homenageados mediante propostas encaminhadas por engenheiros agrônomos associados, instituições de ensino e entidades ligadas ao setor agronômico.

Segundo o presidente da Aeasp, Angelo Petto Neto, o evento valoriza profissionais importantes para a sociedade. “Essa cerimônia é extremamente relevante para a Associação e para a sociedade. Tivemos a felicidade de, há alguns anos, de ter trazido a cerimônia para dentro da Agrishow, por meio de uma cooperação estreita com a Secretaria de Agricultura. Indiscutivelmente, todos os premiados são de altíssimo nível e competentes em suas áreas”, ressaltou.

Sobre José Antonio Rossato Junior – Nascido em Jaboticabal, José Antonio Rossato Junior, 36 anos, além de produtor rural, acumula os cargos de presidente da Coplana, vice-presidente da Socicana e docente de ensino superior na graduação e pós-graduação da Faculdade Dr. Francisco Maeda (Fafram), em Ituverava (SP). Também é professor do Programa de Mestrado Profissional em Administração, da Unesp Jaboticabal, responsável pela disciplina de Cooperativismo com Governança. 

A Deusa Ceres – A Deusa Ceres, cultuada pelos romanos, é, na mitologia grega, Deméter, a divindade da Agricultura e da Fecundidade da terra. Deusa do trigo e dos outros cereais, Ceres ensinou aos homens a arte de arar, plantar e de colher, e ensinou às mulheres a arte de fazer pão. A palavra cereal é derivada do nome “Deusa Ceres”.

Fotos: Ewerton Alves / Produção de texto: Renata Massafera – Neomarc

fakenews

Atenção para informações falsas que circulam na internet

Cooperado (a), os meios digitais hoje fazem parte de nossas vidas, e é difícil imaginar nossos contatos pessoais e profissionais sem o celular ou a internet.

Porém, devido ao amplo acesso e facilidade de envio de mensagens, muitas pessoas se aproveitam destes canais para multiplicar informações falsas sobre os mais variados assuntos.

Canais como WhatsApp e Facebook são muito usados para veicular Notícias Falsas, conhecidas como Fake News, com o objetivo de enganar ou tirar proveito de alguma situação.

Assim, fazemos um alerta!
Muito cuidado ao receber mensagens sobre a Coplana, seus produtos, serviços, atendimentos, eventos, etc.

 

A Coplana não autoriza ninguém e nenhuma empresa a falar ou enviar mensagens
em seu nome ou em nome de seus colaboradores.

Somente considere como confiáveis informações transmitidas diretamente pela Coplana – através do correio,
em sua Newsletter, no site da Cooperativa ou por um número de WhatsApp da Coplana que você reconhece.

 

Confira sempre se a mensagem que está recebendo é de um ou número de celular ou e-mail da Cooperativa. E sempre que tiver dúvida, entre em contato com o Agrônomo que o atende ou com a Secretaria da Coplana.

Em seus negócios, Informação é Estratégia.
Portanto, sempre verifique a fonte!

 

Matriz Coplana: (16) 3251-9200

visita2

Coplana recebe estudantes de Jornalismo

Visita às unidades da Coplana em Jaboticabal e Guariba fez parte do Prêmio ABAG/RP de Jornalismo “José Hamilton Ribeiro”

Um grupo de estudantes de Jornalismo de quatro faculdades da região esteve na Coplana, em Jaboticabal e Guariba, onde conheceram o trabalho desenvolvido pela Cooperativa, pela Socicana e Sicoob Coopecredi e se informaram um pouco mais sobre agronegócio e cooperativismo. A visita fez parte do programa de divulgação do setor promovido pela Associação Brasileira de Agronegócio da Região de Ribeirão Preto (ABAG/RP), que realiza anualmente o Prêmio ABAG/RP de Jornalismo “José Hamilton Ribeiro”.

As atividades começaram na parte da manhã com a fala da presidente do conselho da ABAG, Mônika Bergamaschi, sobre a importância de um jornalismo sério que difunda o agronegócio, o cooperativismo e o papel do setor no cenário nacional. “Temos vários programas, mas este é diferenciado e já atendeu mais de mil pessoas que tiveram acesso a informações bem solidificadas que as ajudam a entender o agronegócio e, consequentemente, a divulgá-lo”, avaliou Mônica.

A superintendente da Coplana, Mirela Gradim, deu as boas-vindas aos estudantes e explicou o trabalho que a Coplana vem fazendo e como a Cooperativa conseguiu destacar-se como a maior exportadora regional de amendoim para a Comunidade Europeia. “Consideramos muito interessante este projeto da ABAG que ajuda a difundir um setor tão importante para a economia brasileira”, apontou Mirela.

A palestra do presidente da Coplana, José Antonio de Souza Rossato Junior, foi uma dinâmica apresentação do que é o cooperativismo e como ele surgiu e se desenvolveu. O presidente também apresentou as três entidades: Coplana, Socicana e Sicoob Coopecredi que unidas vêm somando conquistas para o produtor. “Somos um grupo de pessoas, de produtores, e não de capital, e este é o princípio que rege as nossas cooperativas e associação”, explicou Rossato.

Sua apresentação foi seguida da palestra do diretor do Sicoob Coopecredi, Ismael Perina Junior, que apresentou uma série histórica de números que revelam a importância do cooperativismo para beneficiar o coletivo. “No cooperativismo de crédito todos saem ganhando”, reforçou o diretor. A gerente de Relações Institucionais do Sistema das Organizações das Cooperativas Brasileiras (OCB), Fabíola Nader Motta, apresentou os números, conquistas, a composição e atuação das três instituições do sistema: OCB, Sescoop e CNCoop. “Fazer juntos significa economia colaborativa, compartilhada, e todos saem ganhando”, ponderou Fabíola, informando ainda que o sistema OCB conta com 6,6 mil cooperativas, perfazendo um total de 13,2 milhões de cooperados.

Na parte da tarde, os estudantes tiveram a oportunidade de conhecer a Central de Recebimento de Embalagens, que foi modelo para a criação das demais e que é referência em logística reversa. O programa teve sequência com a visita à Unidade de Grãos, em Jaboticabal, e, depois, à lavoura de amendoim do produtor Nilton Souza Júnior, que recebeu o grupo e explicou detalhes do plantio à colheita.

 

Fotos e Produção de texto: Renata Massafera – Neomarc

agro2

Coplana participa do AgroEncontro 2018

A Coplana participou de mais uma edição do AgroEncontro promovido pela Ourofino, com presença marcante no segundo dia do evento, dedicado especificamente à Cooperativa e que contou com técnicos, cooperados, superintendência e membros da diretoria.

Com o tema O futuro do produtor de cana-de-açúcar, a quinta edição do AgroEncontro, aconteceu entre 10 e 13 de abril, na Fazenda Experimental da Ourofino, em Guatapará (SP). Nos dias de realização, as empresas difundiram novidades em máquinas, defensivos agrícolas e variedades de cana.

A Coplana esteve com sua equipe em uma estação técnica na qual foi tratado o tema “Meiosi”, com o objetivo de promover a rotação de culturas. O vice-presidente da Cooperativa, Bruno Rangel Geraldo Martins, fez parte da mesa de abertura do evento. Bruno se manifestou também ao final do painel apresentado por Celso Albano, Executivo da Orplana (Organização de Plantadores de Cana da Região Centro-Sul do Brasil), que discutiu maneiras de garantir um futuro seguro e rentável para o setor sucroenergético. “A interação entre empresas, cooperativas e produtores se mostra importante para que os anseios dos produtores possam ser ouvidos pelas empresas e para que elas possam desenvolver produtos voltados à melhoria do processo produtivo. O evento foi excelente neste sentido”, completou Bruno Rangel.

Mais detalhes do evento, na próxima edição do Informativo Produtor.

 

Fotos: Ewerton Alves/ Produção de texto: Renata Massafera – Neomarc

img33

Mercado de soja: perspectivas e indicativos

As perspectivas são positivas, embora o cenário de recuperação econômica seja bem mais tímido do que produtores e demais agentes de mercado desejem. As palavras “retomada” e “recuperação”, no entanto, soaram como certo alívio aos participantes da palestra “Mercado de Soja – Perspectivas do mercado futuro, precificação e indicativos da soja”, que foi ministrada pelo economista Robson Rodrigues Pereira, do departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos do Bradesco, no dia 13 de março, no CAC da Coplana, em Jaboticabal.

Promovida pelo Núcleo de Negócios da Coplana, a palestra teve o objetivo de mostrar aos produtores de soja as perspectivas para o setor em 2018. Pereira mostrou gráficos que apontam para a retomada de crescimento da economia brasileira, após um longo período de queda e jejum. “O cenário global está mais favorável ao Brasil. Está havendo uma retomada gradual da atividade econômica e há baixo risco de pressões inflacionárias, além da discussão sobre redução adicional de juros e do cenário político, já que é ano de eleição”, explicou o economista.

Ele lembrou que o setor agropecuário foi o responsável pelo aumento do Produto Interno Bruto (PIB) e revelou que existe uma tendência de alta no preço de alguns grãos, como, por exemplo, o milho. A soja pode ter uma melhora pouco significativa, uma vez que os estoques ainda estão altos. “Apesar da expectativa de queda na área plantada, em função da seca que afetou a safra e encurtou a safrinha, temos um quadro razoável. O câmbio tem se mantido relativamente estável com algumas oscilações face ao panorama político e também à volatilidade do mercado”, explicou Pereira, completando que a expectativa é de que o câmbio encerre o ano a R$ 3,20. “Se a conjuntura for boa, podemos arriscar R$ 3,00”, disse ele.

O economista informou que pela projeção do Bradesco, a Selic deverá ficar em torno de 6,5. “A retomada da economia é gradual, lenta, mas pelo menos é uma retomada. E a super safra que ajudou o PIB a subir também ajudou a deflacionar o mercado. Agora, vamos torcer para a conjuntura política ajudar. Se for eleito um presidente de credibilidade, o mercado interno ficará mais calmo e o externo, mais atraído pelo Brasil”, pontuou Pereira.

O produtor Azael Pizzolato Junior, do Núcleo de Negócios da Coplana, avaliou a palestra como positiva e disse que foi muito esclarecedora, no sentido de mostrar que os preços da soja apresentam apenas uma pequena alta e que, portanto, o produtor não deve segurar seu estoque à espera de uma melhora de preço. “O momento, conforme o economista Robson atestou, está favorável para vender”, contou Azael, dizendo que de todo conteúdo apresentado a relação de estoque e consumo (apesar da queda de produção mundial os estoques no Brasil ainda estão altos) foi a parte que mais lhe chamou a atenção.

Fotos / Produção de texto: Renata Massafera – Neomarc

img3

Palestra em comemoração ao Dia Internacional da Mulher emociona participantes do encontro

O Dia Internacional da Mulher, comemorado em 8 de março, serviu de inspiração para a palestra: “A Experiência Feminina no Agronegócio: um Caso de Sucesso”, realizada no dia 12, no auditório da Socicana. No evento, cooperadas, esposas, filhas e netas de cooperados e colaboradoras da Coplana tiveram a oportunidade de conhecer uma história exemplar, narrada por Cecília Falavigna, a “rainha da soja”.

A agricultora de 73 anos, que mora em Floraí, no Paraná, foi convidada pelo Núcleo da Mulher para contar sua experiência, desde a vida de estudante que trabalhou na própria escola para pagar os estudos e caminhava quilômetros para assistir às aulas, até a trajetória de professora, que casou com João Antônio Falavigna, um profissional da área agrícola que acabou conquistando suas próprias terras.

A morte do marido, depois de algum tempo lutando contra o câncer, a pegou de surpresa. “Eu tinha três filhos, dos quais uma é portadora de Síndrome de Down, e eram duas propriedades, uma no Brasil e outra na Bolívia.   O que mais me assustou foi que além de não conhecer absolutamente nada do mundo agro, eu sentia que nada que pertencia ao meu marido era meu também. Sugeriram arrendar as terras, mas eu não aceitei. Fui na Cocamar, a nossa cooperativa, e disse que precisava plantar. A cooperativa me recebeu de braços abertos, e eu fui em busca de tudo o que precisava: cursos, palestras, simpósios, congressos. Não perdia um dia de campo. Valeu a pena! Hoje, comemoro o título de ‘rainha da soja’, que a mídia resolveu me dar”, resumiu Cecília.

Ela contou que, embora tivesse se deparado com preconceito e falta de crença das outras pessoas no seu potencial, teve apoios importantes, como da Cocamar, dos empregados e dos parceiros.  E deu uma dica: “Participem! A cooperativa é de vocês! É fundamental entrar de cabeça e participar de tudo o que ela oferece. Não espere acontecer uma adversidade, como aconteceu comigo, para integrar-se no seu próprio negócio”, aconselhou.

 

Palestra foi elogiada por valorizar a mulher e também o cooperativismo

A coordenadora do Núcleo da Mulher, Priscila Fumes Bellodi, completou a fala da palestrante, seguindo o mesmo conceito: “Não vale a pena esperar algo ruim acontecer com o pai ou o marido. Temos que estar preparadas, acompanhar os negócios, e a Coplana dá subsídios para isto. Tanto o Lideragro, que é o Núcleo Jovem, quanto o Núcleo da Mulher, tem uma agenda bem interessante para capacitar-nos. E lembrem-se: capacidade não tem gênero – nem feminino, nem masculino”, disse.

A superintendente da Coplana, Mirela Gradim, enfatizou que muitos ainda não têm a percepção correta do valor da agricultura. “O agro hoje é para homem e para mulher. Não há diferença. Por isso, investimos em programas de sucessão para jovens, independente do sexo”, destacou. Mirela também mostrou, com sua própria trajetória, que com estudo, foco e dedicação, todos podem alcançar seu objetivo.

Mônika Bergamaschi, presidente do Instituto Brasileiro para Inovação e Sustentabilidade no Agronegócio (Ibisa) e ex-secretária estadual de Agricultura, lembrou que a palavra participação significa “ação das partes” e que, neste sentido, é fundamental que homens e mulheres participem da cooperativa, que é uma extensão das propriedades. “A natureza não aceita vácuo, portanto, ocupe seu espaço”, convocou Mônika.

A colaboradora Léa Maduro elogiou a palestra e a iniciativa da Coplana de promover ações que incentivam a mulher a conhecer mais sobre um negócio do qual faz parte. “É muito importante ter mais conhecimento sobre os negócios da família para poder agregar, para dar continuidade ao que o marido ou os pais começaram. A Coplana está dedicada a trazer a mulher para dentro da Cooperativa”, disse Léa.

A produtora Carmen Izildinha Penariol lembrou que ela própria passou pela perda do marido, embora já estivesse por dentro dos negócios da família. “Que todas as cooperadas e familiares de cooperados aproveitem estas oportunidades para estarem preparadas para enfrentar adversidades. A Cooperativa dá subsídios para isto”, concluiu Izildinha.

Único homem na plateia, o presidente da Coplana, José Antonio de Souza Rossato Junior, ressaltou o importante papel da mulher em áreas estratégicas. “Parabenizo as organizadoras do evento e a palestrante e lembro que as mulheres são muito bem-vindas na Coplana. Nossas portas estão escancaradas e, inclusive, queremos a presença feminina nos conselhos da Cooperativa, a fim de que também participem das questões estratégicas”, encerrou Rossato.

Fotos: Ewerton Alves/ Produção de texto: Renata Massafera – Neomarc