Author Archives: admin

capital 1

Jaboticabal é consagrada Capital do Amendoim do estado de São Paulo

O dia 12 de janeiro ficará marcado para todos os produtores de amendoim da região de Jaboticabal. Nesta data, o governador Geraldo Alckmin sancionou o Projeto de Lei 703, de 2017, de autoria do deputado estadual Marcos Vinholi, que havia sido aprovado em dezembro de 2017 na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp). O projeto, que consagra Jaboticabal como Capital do Amendoim do Estado de São Paulo, consolida o potencial produtivo do município e reconhece o trabalho árduo dos produtores locais, que têm uma expressão inegável em todo o Brasil, conforme salientou o secretário estadual de Agricultura Arnaldo Jardim, presente à cerimônia de assinatura do projeto.

A notícia de que Jaboticabal se tornaria capital do amendoim já havia sido divulgada no 7o Encontro dos Produtores do Amendoim, promovido pela Coplana, em setembro de 2017. O título foi anunciado pelo presidente da Cooperativa, José Antonio de Souza Rossato Junior, que esteve na última sexta no Palácio dos Bandeirantes, acompanhado da superintendente da Coplana, Mirela Gradim.

“A Coplana capitaneou a solicitação junto ao prefeito de Jaboticabal, dada a importância do produtor rural e de toda agroindústria do amendoim em nosso município. O Brasil produziu 466 mil toneladas de amendoim em 2017, segundo a Conab, sendo que Jaboticabal processou mais de 120 mil toneladas. O significado deste projeto para a cooperativa é singular: reconhecer e valorizar o trabalho perseverante do nosso produtor rural, equipe, fornecedores e parceiros, e, acima de tudo, ter o reconhecimento da sociedade de Jaboticabal acerca do negócio amendoim”, ressaltou Rossato.

Mirela Gradim avalia a conquista. “Jaboticabal já merecia este título há muito tempo por ser um polo de amendoim importante para o Estado! E mais ainda, quem merece o reconhecimento é o produtor. Ele que assume todos os anos os riscos da cultura como clima, preço, etc. Nós podemos acompanhar a felicidade deles quando a lavoura está bonita, produtiva, quando compartilham várias fotos nas redes sociais! E é uma grande satisfação saber que a Coplana faz parte deste processo, assessorando seu cooperado na recomendação de produtos, sementes e serviços e sendo responsável pelo beneficiamento da produção, assim como a comercialização, atendendo clientes como Nestlé, Mondelez e a Comunidade Europeia, o mercado mais exigente do mundo. Esta conquista é um orgulho para todos!”, encerra a superintendente da Cooperativa.

 

Fotos: Governo do Estado/ Produção: Neomarc, texto – Renata Massafera.

1

Coplana inaugura nova loja em Batatais

Mais facilidade para o produtor da região de Batatais, geração de emprego e segurança para os cooperados. Este é o resultado de um projeto que foi feito com cautela, sob muito estudo e que foi concluído com a construção da nova loja da Coplana, em Batatais. A inauguração, que aconteceu na manhã de 15 de dezembro, contou a presença de cooperados, parceiros, membros da comunidade, autoridades políticas, colaboradores e membros da Diretoria e do Conselho da Coplana.

Segundo o gerente de Marketing e Varejo, Cezar Antônio Cimatti, a nova loja oferece milhares de itens e tem 500 m2 de área, em uma das principais entradas de Batatais, na avenida Washington Luís, 343, em local de fáceis acesso e estacionamento. A Loja oferece produtos para a produção agrícola como máquinas, tratores, implementos e peças que atendem às culturas da região. Para o público em geral, também há produtos variados, como ferramentas, artigos para pets e de uso veterinário, itens para pesca, camping, lazer em casa, jardinagem e setor automotivo. Destacam-se ainda rações, botinas, coturnos, chapéus, entre outros, com a marca Coplana.

Na inauguração, o vice-prefeito Sebastião Mazaron Filho falou da alegria de Batatais receber este empreendimento da Coplana e adiantou que a avenida na qual a nova loja se instalou será revitalizada.  “Vocês têm todo o apoio da Prefeitura de Batatais, que está muito honrada pela cidade ter sido escolhida para esta nova loja de uma Cooperativa que se destaca na exportação de amendoim”, completou Mazaron.

O presidente da Coplana, José Antonio de Souza Rossato Júnior, discursou em seguida, lembrando do que chamou de “namoro” entre a Coplana e Batatais. “Há cinco anos pensamos em montar a loja aqui e há três, de uma maneira muito tímida, com a austeridade que nos é peculiar, começamos com um ponto de vendas. Este ‘namoro’ foi o tempo certo para verificar que o ‘casamento’ daria certo e hoje concretizamos um sonho de trazer para Batatais uma parte da nossa Cooperativa, que tem 54 anos, um lastro de valores, governança com transparência e participação ativa dos nossos cooperados”, disse Rossato.

O presidente da Coplana apresentou membros de seu Conselho e da Diretoria e também a nova equipe que passa a integrar a família Coplana, na filial de Batatais. A cerimônia de inauguração foi complementada com a bênção do padre Nelci Amandio de Souza sobre o crucifixo que foi colocado na loja e, após o corte da fita de inauguração, foi aspergida água benta em todas as instalações da nova filial. “Quem faz o bem, faz história”, declarou o padre Nelci, parabenizando a iniciativa da Cooperativa.

A superintendente da Coplana, Mirela Gradim, contou que o projeto surgiu como o nascimento de uma criança: foi planejado, pensado, estudado. “Fiquei muito feliz quando vi a estrutura pronta e quando percebi o acolhimento de Batatais, tanto das pessoas em geral, dos produtores quanto do poder público. Para nós é mais uma experiência e estamos percebendo que se depender do entusiasmo dos gestores, da nova equipe e da cidade, nossas expectativas serão superadas”, concluiu Mirela.

 

 

5

Coplana promove a 5ª Entrega da Carta de Solos Ambicana

Os produtores que utilizaram o serviço de Carta de Solos receberam no dia 12 de dezembro, no auditório da Socicana, em Guariba, os relatórios com os mapas de suas propriedades. Foram 11 produtores que a partir de agora tem um conhecimento ainda maior sobre seu ambiente de produção e que podem, portanto, fazer um manejo varietal mais detalhado.

De acordo com o gerente do Departamento de Tecnologia Agrícola e Inovação, Pablo Humberto Silva, explicou que a Carta de Solos, que é feita com o suporte do Ambicana, um projeto do Instituto Agronômico (IAC), possibilitou este mapeamento preciso dos solos das propriedades de 11 produtores, perfazendo uma área total de 3.200 hectares.

O pesquisador do IAC Hélio do Prado, o pedólogo (especialista em estudo de solo) mais antigo em atividade no Brasil, fez a apresentação após a entrega de cada relatório, explicando cada tipo de solo. Ele explicou que o Ambicana (qualificação dos ambientes de produção de cana-de-açúcar) visa treinar os técnicos das usinas em classificação de solos numa área piloto escolhida. Nessa área, consideram-se as variações da produtividade de cana-de-açúcar, da coloração e do teor de argila dos solos. Uma vez treinados esses técnicos continuam esse trabalho na área complementar aumentado densidade de observações/área conforme a necessidade.

O projeto Ambicana estimula que os técnicos treinem intensamente a estimativa do teor de argila baseado na pegajosidade do solo molhado. Esse procedimento tem duas importantes consequências práticas: fornece o teor de argila, que é indispensável para classificar o solo e parte das amostras são analisadas por classe de solo para constar no relatório.

O outro pesquisador do IAC, André César Vitti, falou sobre o manejo de solo e a importância do preparo e plantios adequados à cada ambiente de produção. “O que precisamos saber para um bom preparo, além do tipo de solo, é a época e os tipos de preparo, que devem, é claro, estar de acordo com o tipo de solo. Incorporar corretivos e resíduos, eliminar camadas compactadas, aeração, trocas gasosas, expor pragas de solo e adequar o terreno são ações fundamentais”, destacou Vitti.

Pablo lembrou que “esta ferramenta é primordial para a escolha de qual variedade se plantar no momento da reforma do canavial, manejo dos diferentes tipos de solo e escalonamento da colheita partindo-se dos solos mais restritivos”. Além disso, o serviço está disponível para todos os cooperados e que a realização do trabalho, até a entrega do relatório, duram em média seis meses.

 

investimento tecnologia

Investimento em conhecimento e tecnologia é chave para evolução

A melhor maneira de evoluir no agronegócio é investir em conhecimento e tecnologia. Esta é a opinião do economista Luiz Fernando Abussamra, que ministrou a palestra “Governança, gestão de riscos e sustentabilidade no agronegócio”, no CAC, dia 23 de novembro.

O evento, uma promoção dos Núcleos, abordou não só o panorama nacional e mundial do agronegócio, mas as maneiras corretas de gerir riscos e administrar o negócio de com sustentabilidade e bons resultados.

O consultor lembrou que o agronegócio possui um ambiente hostil, em que o produtor lida com a imprevisibilidade do clima, variação dos preços das commodities e dos preços em geral, câmbio, problemas fundiários, ambientais, entre outros. “Num ambiente totalmente adverso, ainda temos bons resultados. Imagine se investirmos em conhecimento, em tecnologia e buscarmos uma constante evolução? Seremos ainda melhores”, resumiu Luiz Fernando.

Ele ressalva que não dá para ficar apenas no “bom”; pode-se buscar o excepcional e, para tanto, é necessário utilizar conceitos de governança, gestão de riscos e sustentabilidade aplicados ao agronegócio, por meio da análise de resultados.

“O agronegócio ainda é nosso melhor ativo e não foi vendido, sendo motivo de cobiça do mercado internacional. Qualquer investidor do mundo gostaria de colocar dinheiro aqui. Representamos 40% do PIB brasileiro”, afirmou. O economista lembrou que, segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), o Brasil tem um grande desafio: produzir alimentos para nove bilhões de pessoas ao redor do mundo até 2050. “E o que é necessário para fazer esta travessia? Investir em conhecimento e tecnologia”, insistiu.

Com a palavra, o produtor

Daniele Bellodi Baratela, filha de cooperado e integrante do Núcleo da Mulher, aprovou a iniciativa e gostou da abordagem da palestra. “Na verdade, eu até queria mais! Gostaria de uma explanação mais longa e que o assunto fosse abordado mais vezes, porque o tema é muito importante. Como a Mirela [superintendente da Coplana] falou, uma exigência do mercado vai ser nosso constante crescimento, e este tipo de palestra é um incentivo e nos dá diretrizes. Achei sensacional”, disse Daniele.

Ciro Mendes Sitta, do Núcleo Lideragro, compartilha esta opinião. Segundo ele, é relevante a iniciativa da Coplana de investir em conhecimento, trazendo palestras interessantes, com profissionais que têm um vasto conhecimento do mercado e trazem informações detalhadas aos produtores. “Foi muito boa a palestra. Gostei demais”, resumiu.

Produção Neomarc / Fotos: Renata Massafera

soja1

Soja promete repetir o desempenho dos últimos anos

Em palestra promovida pelo Núcleo Silos,

economista indica possíveis comportamentos do mercado

“Tudo indica que vamos ter mais um bom ano para a soja”: a afirmação é do economista Flávio França Júnior, da França Júnior Consultoria, durante palestra promovida pelo Núcleo Silos. A iniciativa ocorreu em novembro, no CAC – Centro de Atendimento ao Cooperado, em Jaboticabal. O consultor lembrou que as últimas 11 safras foram boas, com aumentos consecutivos de área. A produtividade oscilou, em função do clima, mas também manteve crescimento.

França destacou que a soja é uma cultura num ciclo impressionante de expansão. “O preço pode não ser empolgante, mas é positivo. Em 2012, aconteceu a última explosão de preço, com um pico histórico, permanecendo em 2013 e no primeiro semestre de 2014. No segundo semestre de 2014, começou a cair e ficou estável. Ainda assim, o resultado está sendo positivo”, ressaltou. Ele lembra que o aumento de área mundial tem sido absorvido pela demanda excedente, o que mantém os preços.

O consultor explica que o consumo interno e externo aumentou, e o Brasil produziu, na última safra, 115 milhões de sacas, exportando 65 milhões de grãos, além de farelo e óleo. “Nosso gargalo hoje se chama ‘gestão de riscos’. O produtor tem que preocupar-se em ser um bom comprador de insumos, um bom administrador e um bom vendedor.” Ele elogiou o Núcleo por oferecer aos produtores treinamento adequado para lidar com estas questões, citando como exemplo as palestras já oferecidas.

O produtor Azael Pizzolato quis saber de referências para a melhor negociação da safra. “Os picos de Chicago, que interferem na nossa comercialização, acontecem de maio a agosto. Para olharmos nossos preços precisamos, no entanto, ficar atentos ao câmbio e a Chicago. Se levarmos em consideração apenas Chicago, maio e junho são meses bons, mas, infelizmente, dependemos também do câmbio. Não tenho uma resposta formatada, mas sugiro que fiquem de olho no mercado, especificamente nestes dois itens. Quando os dois estiverem bons, é hora de vender”, respondeu França Júnior.

O coordenador do Núcleo Silos, Murilo Morelli, complementou que o importante não é ficar apenas atento ao momento de vender, mas também ao de comprar os insumos. Além disso, ele destaca a união promovida pela Cooperativa.  “Hoje, temos o Núcleo Silos, discutimos transporte, armazenamento e venda. A Coplana nos fortalece. Fazemos tudo juntos. Estas palavras apenas confirmam o propósito do Núcleo. A palestra de hoje, especificamente, coroou o que já estamos fazendo, que é ficar diariamente de olho no mercado”, explicou Morelli.

palestrante

Produção Neomarc / Fotos: Renata Massafera

libra1

Emoção marca o encerramento do Curso de Libras

Depois de cinco semanas para cada módulo (Básico, Intermediário e Avançado), com aulas semanais de oito horas, 11 colaboradores da Coplana concluíram o curso de Libras, a Língua Brasileira de Sinais, o que possibilita a integração com os cinco colaboradores surdos que trabalham na Cooperativa. O encerramento foi marcado por muita emoção, não só por parte dos “formandos”, mas também dos colegas que se sentem a cada dia mais incluídos, e do professor Euluan Mota, que demonstrou sua satisfação com o resultado.

O evento, no dia 17 de novembro, começou com a apresentação de um vídeo no qual um casal mostra a dinâmica de sua família, com dois filhos surdos. Em seguida, o colaborador Pedro Sgarbosa, formando no curso avançado de Libras, falou sobre a importância do aprendizado da Língua de Sinais e traçou um panorama do que acontece no Brasil, enquanto o colaborador Murilo Henrique da Silva ia traduzindo, em sinais, sua fala.

O grupo encenou também um telejornal com apresentadores e repórteres interpretados por colaboradores que concluíram o curso. Em uma das matérias, a declaração da colaboradora Rosiane Pereira Menotti, que é surda, emocionou a todos e mostrou seu reconhecimento pelos esforços da Cooperativa e da equipe no sentido de integração. “É muito bom trabalhar num local onde as pessoas se preocupam em comunicar-se com a gente”, resumiu. O telejornal ainda apresentou matérias sobre a Sipat e uma visita à escola Senhora Aparecida, em Jaboticabal, instituição que recebeu os alunos da Estrelinha Azul e que hoje é a única na cidade que faz a inclusão de surdos e deficientes auditivos. A ação da Coplana foi elogiada pelas professoras da escola.

A simulação de um atendimento a um surdo, em uma loja de Guariba, foi outra matéria do telejornal, além de uma previsão do tempo inusitada, na qual chuvas de abraços e tempestades de carinho eram não só previstas, mas desejadas.

Os alunos fizeram, ainda, uma apresentação musical, assistiram a um descontraído vídeo e fizeram uma bela homenagem ao professor Euluan. O que ficou de todo o processo foi a vontade de contagiar os demais colegas para que também aprendam esta que é a segunda língua brasileira e que é tão importante para promover a integração e a sociabilização.

libra 6 libra2 libra3 libra9 libra8 libra7 libra5 libra4

Produção Neomarc / Fotos: Renata Massafera

sangue4

Coplana promove campanha de doação de sangue

Doar sangue é um ato de solidariedade, e cada doação pode salvar a vida de até quatro pessoas. É este pensamento consciente sobre a importância da doação que levou dezenas de colaboradores da Coplana a participar da campanha promovida pela Cooperativa, no dia 28 de outubro, no CAC, em Jaboticabal, e no dia 11 de novembro, no refeitório, em Guariba. A coleta foi feita para o Banco de Sangue do Hemac do Hospital São Francisco.

O procedimento foi simples até para quem doava pela primeira vez e saiu da doação com um sentimento de dever cumprido. Foi o caso de Ana Carolina dos Santos Barata. A iniciativa organizada pela Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA) e incentivada pelas diretorias da Coplana, Coopecredi e Socicana foi uma oportunidade. “Fiquei nervosa a princípio, por pura ansiedade, mas foi bem tranquilo. A iniciativa da Coplana é um estímulo para quem quer doar, mas enfrenta o empecilho de ter que deslocar-se para outra cidade”, avaliou.

Milton Fernandes dos Santos Júnior, presidente da CIPA, falou dos resultados. “Resolvemos fazer a campanha nesta época porque no final do ano, em função do aumento de festas e viagens, há mais acidentes, e a demanda por sangue aumenta. Para o próximo ano, nossa intenção é continuar com a campanha e se possível ampliar ainda mais a quantidade de voluntários.”sangue2 sangue4 sangue3

Produção Neomarc / Fotos: Renata Massafera

 

calendario2018

Concurso Calendário 2018 Coplana, Socicana e Sicoob Coopecredi

No dia 20 de Outubro, em um evento descontraído, 24 crianças e jovens receberam, cada um, seu prêmio pela classificação no Concurso Calendário 2018. A iniciativa é uma realização da Coplana, Socicana e Sicoob Coopecredi, e a entrega dos prêmios aconteceu no auditório da Associação, em Guariba.

“Sua vida no futuro: você já imaginou como será um mundo totalmente diferente?” foi a pergunta lançada para as crianças de seis a 12 anos, que participaram da modalidade desenho. Os 12 classificados receberam, cada um, o prêmio de R$ 600,00, em Poupança Sicoob, um dos produtos do Sicoob Coopecredi, além de um certificado e um cofrinho para incentivar a criança a poupar.

Mais 12 jovens também saíram felizes da premiação: adolescentes de 13 a 16 anos  que criaram frases com base no seguinte tema: “A Educação Financeira e o seu Futuro: você já conversou com sua família sobre a importância de poupar?”.  A frase teve como objetivo gerar uma reflexão sobre a importância de começar sua poupança desde cedo, e os vencedores entenderam o conceito de poupar. Os autores das 12 melhores frases também receberam, cada um, o prêmio de R$ 600,00.

Os prêmios foram entregues pelo presidente da Coplana e tesoureiro da Socicana, José Antonio de Souza Rossato Junior, com o auxílio da comissão julgadora e de uma visita surpresa: o secretário de Agricultura do Estado de São Paulo, Arnaldo Jardim. O secretário demonstrou o imenso prazer em participar do evento, pelos objetivos de aproximação com o público infantojuvenil e discussão sobre temas de interesse coletivo.

Produção Neomarc / Fotos: Renata Massafera

sipat17

Coplana, Socicana e Sicoob Coopecrredi realizam a 30ª Sipat

Os dias 16 a 20 de outubro foram de informação sobre segurança, qualidade de vida e homenagens para colaboradores da Coplana, Socicana e Siccob Coopecredi, que participaram da 30a Semana Interna de Prevenção de Acidentes de Trabalho (Sipat). A iniciativa é uma realização da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA) da Coplana, com apoio das três entidades. Além da programação estipulada pela CIPA, a Sipat contou com homenagens promovidas pelas três entidades a seus colaboradores com 10, 15, 20 e 30 anos completos de casa.

No início da programação, a superintendente da Coplana, Mirela Gradim, deu as boas-vindas a todos e acompanhou a apresentação do grupo de estudos de Libras, formado por colaboradores da Cooperativa. Os integrantes executaram uma música na língua de sinais. Em seguida, foi a vez da peça “Nos bastidores da segurança” encenada pelo grupo “Pompa Cômica”. O espetáculo foi apresentado em Guariba e Jaboticabal e evidenciou a importância do ambiente seguro.

Outro momento de descontração e repleto de dedos cruzados foi o sorteio de brindes. Em seguida, muita emoção na homenagem aos colaboradores mais antigos de casa. A superintendente da Coplana agradeceu a cada um deles pelos anos de dedicação à empresa e ouviu, de todos, palavras de orgulho e satisfação por fazerem parte do quadro funcional da Cooperativa.

A  Sipat é um evento relevante, que reflete em resultado também ao longo do ano. Com o objetivo de tratar a segurança no ambiente de trabalho, reforça as medidas adotadas, nesta área, pela Cooperativa, como treinamentos, implantação de normas de procedimentos, adoção de EPIs (Equipamentos de Proteção Individual), entre outros.

Produção Neomarc / Fotos: Renata Massafera

nucleomulheres

Núcleo da Mulher participa do II Congresso Nacional das Mulheres do Agronegócio

Novos conhecimentos, oportunidade de troca de experiência e a formação de um sólido network. Estas foram as principais características que marcaram a participação do Núcleo da Mulher da Coplana no II Congresso Nacional das Mulheres do Agronegócio, dias 17 e 18 de outubro, no Espaço Transamérica, em São Paulo.

Um grupo composto por filhas e esposas de cooperados, colaboradoras da Coplana e a superintendente Mirela Gradim, representando a diretoria da Cooperativa, marcou presença nas plenárias do evento e nos workshops: “Pecuária sustentável — desafios e futuro”; “Gestão feminina, práticas e resultado nas cooperativas” e “Sucessão Familiar – Apresentação do Case Família Buschmann”.

Em um dos dias de evento, a discussão girou em torno do tema “Liderança integrada – Como liderar múltiplas  gerações e preparar as organizações para integrar cadeias de valor”. O tema foi tratado pela engenheira agrônoma e diretora da ABAG, Mônika Bergamaschi, que também é presidente do Instituto Brasileiro para Inovação e Sustentabilidade.

 

Produção Neomarc / Fotos: Renata Massafera