Tag Archives: Plantio

manual-safra

Boas práticas no plantio do amendoim

O plantio é uma atividade composta de várias etapas, e em cada uma delas, há diversos fatores que vão fazer a diferença no resultado final da cultura. O plantio é, portanto, uma fase fundamental, que deve ser motivo de grande atenção do produtor. Mesmo com a experiência de muitos anos na lavoura, vale a pena, a cada novo ciclo, repassar os detalhes. O produtor pode contar com a equipe de agrônomos da Coplana para todas as orientações necessárias, e, como lembrete, o sucesso do plantio está ligado às seguintes etapas:

 

Primeira etapa – escolha da área

  • Identificação do tipo de solo – leve, médio ou pesado;
  • Análise do histórico de culturas anteriores;
  • Análise da declividade, visando um melhor aproveitamento da área para a implantação da cultura.

 

Segunda etapa – preparo de solo

  • Após a análise de solo, é importante realizar a conservação de solo e aplicação de corretivos, determinados pela análise.
  • De acordo com o padrão de solo, culturas anteriores e histórico de plantas daninhas, este é o momento de realizar um preparo de solo adequado para a implantação da cultura.

 

Terceira etapa – escolha da variedade

  • De acordo com a fertilidade e estrutura do solo, o produtor deve escolher variedades precoces ou tardias. Para isso, deve levar em consideração também os prazos determinados para a entrega da área visando o plantio de cana.

 

Quarta etapa – época de plantio

  • A melhor janela de plantio compreende a 2º quinzena de setembro à 1º quinzena de novembro, conforme precipitação no período.

 

Quinta etapa – semeadura

  • Devemos analisar previamente a condição de umidade de solo, para tomar a decisão de iniciar o plantio, levando em consideração a profundidade da deposição da semente (de acordo com a umidade e textura do solo), favorecendo um stand recomendado a cultura.

 

Sexta etapa – manejo fitossanitário

  • Devemos ter atenção redobrada no início do desenvolvimento da cultura, focando principalmente pragas (trips e lagartas) e plantas daninhas e, posteriormente, doenças foliares, realizando seus controles com herbicidas, inseticidas e fungicidas tecnicamente recomendados.

 

Mais informações com o seu Agrônomo.

Tags:, ,

download

Plantio em clima seco e frio

O que fazer para melhorar o desempenho?
Para o sucesso da implantação de um canavial são essenciais bom planejamento e alguns cuidados, como: qualidade da muda, correção do solo, manejo varietal, sistematização da área, adubação adequada e controle de plantas daninhas. Estes são os fatores fundamentais quando o plantio é realizado na melhor época – primavera e verão. Entretanto, se o plantio ocorrer nos meses de outono e inverno, época menos favorável, são necessários cuidados adicionais, devido à queda de temperatura e grande perda de umidade do solo.

Ações para o plantio no outono e inverno
Preparo do solo – deve ser iniciado logo após a reforma do canavial e antes da instalação da rotação de cultura (amendoim, soja ou adubação verde) juntamente com os corretivos. É importante não fazer o preparo nos dias que antecedem o plantio da cana para evitar o revolvimento do solo e a perda da umidade. Isso também contribui para a conservação dos restos culturais da rotação, o que irá ajudar na manutenção da umidade e consequente proteção do solo. Se for necessária a gradagem, esta deve ser leve, anterior à sulcação (no mesmo dia) para que não ocorra a formação de torrões durante a sulcação. Este cuidado garante maior contato entre o tolete e o solo, porque evita que, no momento da cobrição, formem-se bolsões de ar.

Sulcação e cobrição – devido às condições desfavoráveis para o plantio, a sulcação deve ser mais profunda. Recomenda-se que as operações de sulcação, distribuição dos toletes e cobrição sejam realizadas o mais rápido possível, para evitar a perda da umidade no solo, que também ocorre rapidamente neste período. No momento da cobrição, deve-se evitar também o excesso de terra sobre os toletes para não dificultar a brotação.
Tratamento de sulco e de tolete – a adubação com sais deve ser bem posicionada. O nutriente potássio, por exemplo, pode provocar a queima das raízes em desenvolvimento, se ficar próximo às raízes. E também pode roubar a umidade existente no solo, pois além de ser um sal, é altamente higroscópico, ou seja, absorve a umidade com facilidade. Outro manejo nesta época seca é o uso de material orgânico (torta de filtro, esterco e outros condicionadores de solo) no sulco de plantio, que além de fornecer nutrientes, contribui com a manutenção da umidade, favorecendo a brotação.
Em relação ao tratamento de tolete, além do uso de inseticida, nematicida e micronutriente, o uso de fungicidas se torna necessário para que não ocorra a doença popularmente conhecida por “podridão abacaxi” Ceratocystis paradoxa (Thielaviopsis paradoxa). Esta é uma doença causada por fungo que é favorecida pela baixa temperatura e umidade, se instalando nos toletes e levando à morte das gemas. Outra ferramenta que pode ser utilizada na cobrição dos toletes são os bioestimulantes e hormônios, que irão ajudar na quebra da dormência das gemas, acelerando a brotação e o enraizamento e contribuindo para um bom stand do canavial.
Vale ressaltar que a irrigação e a fertirrigação contribuirão para manter a umidade do solo, favorecendo a brotação e a formação do canavial.

Altair Francisco Marchi
Rodrigo Soares da Costa
Engenheiros Agrônomos da Coplana

Tags:, , ,